quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Atuação do INPE no Monitoramento de Biomas Brasileiros Foi Destaque na COP 23

Caro leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (23/11) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que a atuação do instituto no Monitoramento de Biomas Brasileiros foi destaque na COP 23.

Duda Falcão

Atuação do INPE no Monitoramento de
Biomas Brasileiros Foi Destaque na COP 23

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

A cidade de Bonn, na Alemanha, foi a sede mundial do clima no período de 6 a 17 de novembro. Representantes de 196 países participaram da 23ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – COP 23, com o objetivo de avançar na implementação do Acordo de Paris, pacto mundial para conter o aquecimento global definido durante a COP 21, em 2015.

No Espaço Brasil da COP 23 foram discutidos temas como agricultura de baixo carbono, medidas de proteção e conservação do Cerrado, recuperação de vegetação nativa e recursos hídricos, biocombustíveis e bioenergia, bem como iniciativas e ações do governo brasileiro na prevenção e combate ao desmatamento dos biomas brasileiros.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) apresentou projetos e atividades que desenvolve para o monitoramento ambiental no esforço de produzir dados para submissão de níveis de referência de emissões de Gases de Efeito estufa (GEE) por desmatamento. As informações são essenciais para a remuneração por resultados de redução de emissões sob a estratégia REDD+, da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.

A coordenadora de Observação da Terra do INPE, Leila Fonseca, falou sobre o projeto Monitoramento por Satélites da Amazônia (MSA) no painel “Fundo Amazônia: contribuindo para o alcance das metas brasileiras”, organizado pelo BNDES.

Financiado pelo Fundo Amazônia, o projeto MSA produz dados e informações para melhorar o monitoramento e controle das alterações na floresta, assim como para subsidiar a criação, implementação e fiscalização da legislação ambiental. “O projeto é complexo e envolve o desenvolvimento de metodologias e produção de dados de desmatamento, focos de queimadas e uso e cobertura do bioma Amazônia, informações sobre Emissões de Gases de Efeito Estufa e Biomassa, diagnóstico dos principais processos de mudanças de uso e cobertura da terra na Amazônia e aprimoramento de tecnologias para auxiliar na produção dos dados”, disse Leila Fonseca.

A chefe do Centro Regional da Amazônia do INPE, Alessandra Gomes, mostrou resultados do Instituto no evento organizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) sobre prevenção e controle do desmatamento nos biomas brasileiros.

“Apresentamos as iniciativas do INPE no Programa de Monitoramento Ambiental dos Biomas Brasileiros, do MMA, que tem como objetivo o monitoramento ambiental dos Biomas Brasileiros até 2020. As metodologias para os projetos de monitoramento da Amazônia estão consolidadas. O projeto para monitoramento do Cerrado, financiado pelo Fundo de Investimento Florestal (FIP), está em fase inicial. Para o monitoramento dos biomas Mata Atlântica, Caatinga, Pampa e Pantanal, o projeto já foi aprovado pelo BNDES e seu objetivo é completar parte da estratégia nacional para REDD+ para todo o território nacional”, disse Alessandra Gomes.

Em evento paralelo coordenado pela Comissão Europeia e pela Agência Espacial Europeia, o pesquisador Luiz Aragão apresentou a palestra "Progress in monitoring forest degradation in Brazil" sobre as atividades desenvolvidas pelo INPE e Joint Research Center (JRC) na área de degradação florestal para subsidiar a quantificação de emissão do carbono.

O INPE também esteve representado na COP 23 pela pesquisadora Thelma Krug, que compõe a vice-presidência do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), das Nações Unidas.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Grupo de Trabalho da ISO Para Normas Espaciais Se Reúnirá no INPE

Caro leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (23/11) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Grupo de Trabalho da ISO para Normas Espaciais se reunirá no instituto.

Duda Falcão

Grupo de Trabalho da ISO Para
Normas Espaciais Se Reúne no INPE

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017

De 28 a 30 de novembro, o Brasil sedia o “Fall Meeting” do grupo de trabalho WG-6 - Materials and Processes and Human Space Flight do subcomitê dedicado ao setor espacial da ISO (Internacional Organization for Standardization), organização que desenvolve e publica normas internacionais em várias áreas da tecnologia. O evento será nas instalações do Laboratório de Integração e Testes (LIT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP).

Estarão presentes delegações de Rússia, China, Japão e França, para discutir a elaboração de normas para o setor espacial. Os especialistas fazem parte do subcomitê técnico SC14 (Sistemas e Operações Espaciais) do TC20, o comitê para assuntos ligados à aeronáutica e espaço da ISO.

“Profissionais do INPE e DCTA estarão reunidos com profissionais de organizações espaciais como JAXA, JAMSS, Beijing Aerospace Times Optical, China Academy of Aerospace Electronics Technology, Ariane Group e Kompozit JSC”, diz Andreia Sorice Genaro, do INPE, que coordena a comissão de estudos CE-60 do CB-08 (Comitê Brasileiro de Aeronáutica e Espaço) da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Entre os temas abordados pelo WG-6 estão: testes não destrutivos, inflamabilidade de fluidos espaciais, compatibilidade de materiais, teste ambiental para materiais de controle térmico de satélites, requisitos para atividades humanas em voos tripulados, entre outros.

Com sede em Genebra, a ISO é uma organização internacional com 163 membros. O subcomitê sobre sistemas e operações espaciais se reúne duas vezes ao ano, tendo sido a ocasião mais recente há seis meses em Paris.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Revista ASAS Realizará em Dezembro Fórum Sobre o PEB

Olá leitor!

A Revista ASAS, editada pela “Edições Rota Cultural”, com o apoio do Ministério da Defesa (MD), da Força Aérea Brasileira (FAB) e da Agencia Espacial Brasileira (AEB), entre outros, promoverá no dia 07/12, em São Paulo-SP, o “3° Fórum ASAS”, fórum este que apresentará um Panorama Aeroespacial Brasileiro.

O evento é gratuito e para maiores informações os interessados devem visitar o site do evento pelo link: https://www.eventoasas.com.br

Evento: 3° Fórum ASAS - Panorama Aeroespacial Brasileiro
Dia: 07/12
Horário: 08h30
Local: Hotel Matsubara
End: Rua Coronel Oscar Porto, 836 - Paraíso
Cidade: São Paulo-SP
Tel: (11) 3561-5000

Duda Falcão

Comentário: Chamo a sua atenção para a programação desse evento e lhe pergunto leitor: Em sua opinião está faltando algo??? E outra, sinceramente não entendo como o banana do Sr. José Raimundo Braga Coelho continua sendo convidado para falar sobre a atual situação do PEB. Veja bem leitor, para que um evento tenha credibilidade e realmente venha contribuir com algo de útil ao que se propõe, precisa envolver especialistas sérios, antenados, com serviços prestados ao setor e não esse banana presidente de um órgão cada vez mais bagunçado e sujo junto à própria comunidade espacial.  Convidem um Fernando Mendonça, um Jaime Boscov, o Brig. Hugo de Oliveira Piva, o Dr. Waldemar Castro Leite, só para citar profissionais aposentados e que podem contribuir em muito com ideias e soluções para arrumar a casa, e não esse banana, irresponsável, tecnocrata e sob suspeita de ser corrupto. Enfim... tá aí a noticia

INPE Participa de Projeto Para Previsão de Desastres Socioambientais em SC

Caro leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (22/11) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o instituto participa de Projeto Para Previsão de Desastres Socioambientais em SC.

Duda Falcão

INPE Participa de Projeto Para Previsão
de Desastres Socioambientais em SC

Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

Santa Catarina é um estado frequentemente atingido por tempestades severas, algumas vezes associadas a tornados, e sempre acompanhadas de chuva intensa, granizo e ventos fortes. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) participou, entre os dias 14 e 19 de novembro, de experimento para coleta de dados meteorológicos em Chapecó (SC).

“Eventos como o tornado de força 3 ocorrido em Xanxerê em 2015 impactam durante longos períodos os arranjos produtivos locais e a sociedade como um todo e, por isso, podem ser classificados como desastres socioambientais”, diz Dirceu Herdies, pesquisador do INPE que participou do experimento em Chapecó, realizado no âmbito do Projeto Sistema Integrado de Ferramentas de Análise e Previsão Hidrometeorológica (SIFAP-SC).

Segundo o pesquisador, tempestades destrutivas podem apresentar escala espacial da ordem de metros a poucos quilômetros e escala temporal em intervalos de menos de uma hora. “Nesse sentido, os serviços operacionais de monitoramento e os grupos de pesquisa ainda não dispõem das ferramentas adequadas às realidades locais, desde modelos numéricos de previsão de altíssima resolução a redes de dados observacionais com o adensamento espacial e a frequência temporal apropriados”, diz Herdies.

O SIFAP-SC é uma parceria entre a Defesa Civil do Estado de Santa Catarina com o Centro de Gestão, Desenvolvimento e Inovação (CGPDI), que conta com a participação de pesquisadores e estudantes do INPE, Instituto Federal de Educação de Santa Catarina (IFSC), Sistema Meteorológico do Paraná (SIMEPAR) e Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).

O projeto consiste de um conjunto de ações interdependentes, de interesse público, para elaboração de produtos voltados ao Estado de Santa Catarina, com o objetivo principal de atender a áreas estratégicas complementares no monitoramento e prevenção de eventos hidrometeorológicos extremos que afetam diretamente a população local.

Denominada “Experimento de Campo Valeri”, a campanha de coleta de dados realizada em Chapecó está associada às seguintes linhas de ação do projeto SIFAP-SC: “Ampliação e Fortalecimento da Rede Hidrometeorológica do Estado de SC” e “Uso de Radar Meteorológico para Previsão Numérica de Curto Prazo para o Estado de SC”.

Os dados meteorológicos de superfície e altitude foram coletados com a participação da Defesa Civil do Estado de Santa Catarina, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Instituto Federal de Educação de Santa Catarina (IFSC), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN).

“O objetivo desta ação integrada entre modelagem numérica, observações e análise objetiva das informações hidrometeorológicas é verificar o impacto de novas observações no sistema de assimilação de dados e, consequentemente, a previsão numérica de tempo para eventos de curto e curtíssimo prazo. Por isso, em uma abordagem científica torna-se fundamental o conhecimento das variabilidades locais dos parâmetros meteorológicos na camada que compreende a troposfera, para melhorar o entendimento de eventos naturais extremos, além do avanço científico do tema”, conclui o pesquisador do INPE.

Lançamento de balão atmosférico em área próxima
ao Radar da Defesa Civil-SC, em Chapecó.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Atualizando Nossas Campanhas

Olá leitor!

Mais uma quinta-feira do mês de novembro e sendo assim é dia de atualizar você sobre as nossas campanhas em curso.

Bom leitor quanto à “Campanha para Regulamentação das Atividades de Grupos Amadores”, até esta semana 13 grupos já se inscreveram. São eles Auriflama FoguetesBANDEIRANTE Foguetes EducativosCarl SaganCEFABCEFECInfinitude FoguetismoITA Rocket Design, NTAProjeto JupiterUFABC Rocket Design e PEUE (Pesquisas Espaciais Universo Expansivo), Grupo Pionners Grupo: GREAVE. Vamos lá gente, cadê os grupos amadores desse país, vocês não querem se organizar? (OBS: Continuo esperando que os 13 grupos inscritos respondam se há algum entre vocês que tem o interesse de organizar e sediar um ‘Seminário’ para discutirmos as atividades de espaçomodelismo no Brasil?)

Já quanto á “Campanha de Manutenção do Blog”, apenas um colaborador realizou a sua contribuição no mês de novembro no vakinha.com.br. Ele foi:

1 - Leo Nivaldo Sandoli

E um colaborador está em processo de realizar sua colaboração no mês de novembro. Ele é:

1 - Sergio de Melo Moraes (CEPA)

OBS: informo aos leitores que ainda não sabem que  a campanha de manutenção do Blog pode ser acessada pelo link: http://www.vakinha.com.br/vaquinha/manutencao-do-blog-brazilian-space.

Enfim... vamos continuar aguardando que a partir da próxima semana haja uma mudança de postura de nossos leitores com as nossas campanhas, para que assim possamos efetivamente continuar contribuindo com o Programa Espacial Brasileiro, e quem sabe, com a permanência do blog online ou a criação do Portal Espacial que é hoje o nosso principal objetivo.

Duda Falcão

Americano Promete Se Lançar em Foguete Para 'Provar' Que a Terra é Plana

Olá leitor!

Segue abaixo uma curiosa notícia postada ontem (22/11) no site “G1” do globo.com destacando que a um Americano da Califórnia irá se lançar ao espaço neste sábado (25/11) através de um foguete para provar que a Terra é plana.

Duda Falcão

PLANETA BIZARRO

Americano Promete Se Lançar em Foguete
Para 'Provar' Que a Terra é Plana

"Mad" Mike Hughes anunciou a aventura para este sábado.

Por G1
22/11/2017 16h45
Atualizado há 13 horas

O americano "Mad" Mike Hughes afirmou que vai se lançar em um foguete neste sábado (25), a uma velocidade de 800 km/h, para "provar" que a Terra é plana.

O morador da Califórnia, que vai usar um foguete que ele mesmo fez em sua casa de Apple Valley, usando metal reaproveitado, planeja se lançar a partir da cidade de Amboy no deserto de Mojave.

Hughes -que além de inventor e aventureiro é motorista de limusine- prometeu aos defensores da Terra Plana que ele vai "expor" a conspiração que, segundo ele, faz a NASA esconder o verdadeiro formato do planeta.

Foto: Waldo Stakes/HO courtesy of Mad Mike Hughes via AP)
O americano "Mad" Mike Hughes.

Ele afirma que "se converteu" recentemente à crença da Terra Plana, e os adeptos da tese estão ajudando a financiar seu experimento.

A segunda parte de sua missão, segundo Hughes, é, no ano que vem, voar com um balão até a altura de 6 km e depois se lançar ao espaço.

"É assustador como o diabo", disse à AP. "Mas ninguém vai sair vivo deste mundo."


Fonte: Site “G1” do globo.com – 22/11/2017

Comentário: KKKKKKK, esse maluco vai é se esborrachar no chão, kkkkkkk. Quanto ao objetivo suposto da missão, eu creio que na verdade ele usou essa desculpa para conseguir recursos para construir o foguete dos que defendem essa baboseira de Terra Plana. Kkkkkkk

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Aluno do ITA Publica Artigo Inédito em Revista Internacional

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (21/11) no site do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), destacando que aluno do instituto publica artigo inédito em revista internacional.

Duda Falcão

Notícias

Aluno do ITA Publica Artigo
Inédito em Revista Internacional

Divisão de Comunicação Social
21/11/2017


O Tenente Engenheiro Luiz Henrique Lindquist Whitacker, Instrutor do Departamento de Turbomáquinas da Divisão de Engenharia Mecânica do ITA, teve os resultados de seu Trabalho de Graduação (TG) aprovado e publicado em periódico internacional, Aerospace Science and Technology (Elsevier), de classificação da CAPES - QUALIS A1, com alto fator de impacto na comunidade acadêmica. O trabalho teve a Orientação do Prof. Dr. Jesuino Takachi Tomita, Chefe do Departamento de Turbomáquinas do ITA.

O trabalho é de grande importância e interesse na área de motores foguete que utilizam turbobombas, por se tratar de uma publicação inédita no mundo, no qual foi determinada, numericamente, a influência da folga de topo da turbina hidráulica do booster de oxigênio líquido (LOX) do motor do Space Shuttle – antigo ônibus espacial reutilizável da NASA, usado como transporte de astronautas e como veículo lançador de satélite – sobre as características de operação da turbina, envolvendo a sua eficiência.

O 1º Ten Eng Lindquist explica em seu trabalho que grandes veículos lançadores têm seus sistemas de propulsão baseados em Motores Foguete a Propelente Líquido equipados com turbobombas. Estas turbobombas são maquinas rotativas complexas que fornecem alta potência, vazão mássica e altas pressões no sistema do motor para atingir os requisitos de empuxo, conforme requisitos do ciclo termodinâmico do motor foguete.

Motores de altíssimo empuxo necessitam de sistemas secundários de turbobombas chamados boosters. Estes sistemas possuem bombas e turbinas, menores, e sua principal função é aumentar a pressão do fluído na entrada das turbobombas principais, sobretudo para ajudar a evitar a ocorrência do fenômeno de cavitação.

As características do escoamento, bem como a variação da eficiência da turbina para diferentes rotações, foram determinadas para três valores de folga de topo associados à porcentagem de altura das pás da turbina: 3,0%, 5,5% e 8,0%. Foram utilizadas técnicas baseadas em determinação de desempenho de turbomáquinas, via Meanline (1D) e Computational Fluid Dynamics (CFD, 3D).

Os resultados das simulações numéricas, seguindo a metodologia desenvolvida no presente trabalho, foram consistentes com os dados experimentais da NASA, podendo assim ser estendidos para os estudos e pesquisas relacionados a outras turbinas hidráulicas axiais.

O artigo é resultado de um trabalho integrado, que começou no Programa de Iniciação Científica (IC), do 4º para o 5º anos da Graduação em Engenharia Aeroespacial no ITA, e continuou sendo objeto de estudo do aluno também no Estágio Curricular e no Trabalho de Graduação (TG), ambos no 5º ano. O mesmo tema também se estendeu no Programa de Mestrado do Ten. Eng. Lindquist, finalizado em 03/2017.

Estão sendo preparados outros artigos, considerando a turbina do booster com 2 e 6 estágios. Os resultados já foram obtidos. Foram necessárias centenas de horas de CPU do cluster de computadores do Departamento de Turbomáquinas do ITA, utilizando-se de técnicas de High Performance Computing (HPC), nas simulações envolvendo a determinação numérica das equações gerais da mecânica dos fluidos (continuidade, Navier-Stokes e energia). Além disso, cálculos do escoamento turbulento 3D, considerando escoamento multifásico, já estão sendo realizados no Departamento de Turbomáquinas do ITA, para melhor investigação e entendimento das características do fenômeno da cavitação na turbomáquina e seus efeitos no desempenho da turbina hidráulica axial do booster de LOX do Space Shuttle.

O presente artigo científico, resultado de um TG que teve o seu primeiro passo no Programa de IC do ITA, reforça a necessidade e a importância da participação de alunos da Graduação do ITA no programa de IC. Ao final, o produto do esforço, persistência e perseverança não se limita apenas à conquista da publicação do artigo em periódico internacional de alta circulação, mas principalmente à formação de recursos humanos altamente qualificados, à sociedade. Para acessar a publicação, clique neste link.


Fonte: Site do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)

Comentário: Muito bem eu parabenizo o Tenente Engenheiro Luiz Henrique Lindquist Whitacker pela conquista pessoal e pelo reconhecimento internacional nessa área de turbobombas para motores foguetes líquidos. Entretanto leitor, vamos falar sério. Eu pergunto qual a motivação da Aeronáutica brasileira para estimular a formação de um profissional como este? O Motor-Foguete Liquido L75 em desenvolvimento no IAE é uma piada é caminha para virar peça de museu antes mesmo de ser usado. Além disso, na atual conjuntura politica não há esperança nenhuma de que o conhecimento adquirido nesta área venha ser usado algum dia pelo Brasil e isto pode fazer com que esses profissionais formados (civis e militares) debandem para outros programas espaciais do mundo ou procurem outras funções profissionais, resultando em perda de tempo, de recursos públicos e demonstrado uma vez mais a nossa estupidez e falta de foco. 

Pós em Geofísica Espacial do INPE Oferece Bolsas de Pós-Doutorado

Caro leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (21/11) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que Pós em Geofísica Espacial do instituto oferece Bolsas de Pós-Doutorado.

Duda Falcão

Pós em Geofísica Espacial Oferece
Bolsas de Pós-Doutorado

Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

Ainda estão abertas as inscrições a duas bolsas de pós-doutorado concedidas pela CAPES ao Programa de Pós-Graduação em Geofísica Espacial (GES) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Os interessados devem se inscrever até sexta-feira (24/11).

Requisitos e contatos para inscrições, assim como todas as informações sobre as bolsas de pós-doutorado, estão disponíveis na página: http://www.inpe.br/gestao/anuncios_oportunidades/bolsas.php


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Estranho Objeto Atravessa o Sistema Solar e Intriga Cientistas

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante nota publicada ontem (20/11) no site da "Revista EXAME" destacando que um estranho objeto em forma de charuto atravessa o Sistema Solar intrigando cientistas.

Duda Falcão

CIÊNCIA

Estranho Objeto Atravessa o
Sistema Solar e Intriga Cientistas

O asteroide avermelhado em forma de charuto é o primeiro confirmado
como sendo de outro sistema estelar, diz a NASA

Por Maurício Grego
Revista EXAME
Publicado em 20 nov 2017, 19h18

(European Southern Observatory/M. Kornmesser/Divulgação)
Concepção artística do Oumuamua: viajante espacial veloz e misterioso.

São Paulo — Um asteroide em forma de charuto atravessou o Sistema Solar em outubro, intrigando os astrônomos que o observaram por seu formato incomum. O objeto é o primeiro a ter sua origem confirmada como sendo de outro sistema estelar.

“Que descoberta fascinante!”, diz, num comunicado, Paul Chodas, diretor do Centro de Estudos de Objetos Próximos da Terra do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA. “É um visitante estranho de um sistema estelar distante. Seu formato não se assemelha ao de nenhum objeto que já tenhamos visto na vizinhança do Sistema Solar.”

O asteroide foi descoberto em 19 de outubro pela equipe que opera o telescópio Pan-STARRS1, da Universidade do Havaí, e ganhou o nome de Oumuamua. Depois, uma rede de telescópios ao redor do planeta passou a acompanhar o intrigante objeto espacial – incluindo o imenso telescópio do European Southern Observatory no deserto de Atacama, no Chile.

O Oumuamua também foi rastreado pelos telescópios espaciais Hubble e Spitzer, da Nasa, que giram na órbita terrestre. Inicialmente, pensou-se que se tratava de um cometa. Mas a observação de sua trajetória e de sua velocidade permitiu concluir que era um asteroide e que veio de fora do Sistema Solar.

O Oumuamua tem cerca de 400 metros de comprimento, mas apenas cerca de 40 metros de diâmetro. É feito de rocha com alto teor de metal e gira como uma broca, dando uma volta a cada 7,3 horas.

Um estudo publicado hoje na revista científica Nature afirma que o Oumuamua está, provavelmente, vagando pela Via Láctea há centenas de milhões de anos. Ele passou pelo Sol a 87,3 quilômetros por segundo. Nessa velocidade, deve escapar do alcance dos telescópios em poucas semanas.

Neste vídeo em inglês, os cientistas falam sobre a descoberta:



Fonte: Site da Revista EXAME - 20/11/2017 - http://exame.abril.com.br/

Comentário: Fantástico, simplesmente extraordinário leitor. Veja como a raça humana tem muito a aprender com o universo que a cerca e principalmente que não é o dono da verdade e muito-menos supra-sumo algum.  Qual fenômeno geológico foi capaz de formar um objeto com este formato? Como isso se sucedeu? Pois é, a natureza é extraordinária e muitos a descrevem como obra de um Deus, mas a verdade é que seja obra de um Deus ou de outra coisa qualquer há ainda muito por se descobrir, e a raça humana terá um percurso de amadurecimento difícil até que aprenda o seu real papel neste gigantesco universo.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Fogueteiro Eslovaco Realiza Com Sucesso Lançamento de Modelo do Foguete de Sondagem VS-30.

Olá leitor!

Enquanto o Programa Espacial Brasileiro (PEB) se desintegra sendo assimilado por raposas estrangeiras e vivendo de promessas vazias e fantasiosas (infelizmente com a conivência da própria FAB), um símbolo exitoso da engenhosidade brasileira na área de foguetes, fruto de uma época onde ainda se desenvolvia produtos espaciais no Brasil, torna-se alvo de iniciativa de um fogueteiro eslovaco.

Pois é leitor, você tá lembrado do Sr. Marek Klesc? Não? Pois então, em junho de 2016 postei aqui (veja) um artigo falando sobre a iniciativa deste fogueteiro eslovaco que estava desenvolvendo uma cópia do foguete de sondagem “VS-30 V07”, utilizado na "Operação Angicos", uma Missão Conjunta Brasileira e Argentina que foi realizada no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) em dezembro de 2007.

Pois então, no dia de hoje fui contatado pelo Sr. Marek Klesc que nos informou que no dia 11/11, durante a realização de uma competição de construtores de foguetes na cidade eslovaca de “Spišská Nová Ves”, o seu modelo do VS-30, participando da categoria de "Modelo de Foguete Experimental", realizou com sucesso o seu primeiro voo, e com isto conquistou o primeiro lugar em sua categoria.

Ainda segundo o Sr. Marek Klesc, o foguete que alcançou 258 metros (de acordo com o seu altímetro), teve o seu peso inicial acrescido em até 9kg graças ao tempo com rajadas de vento, o que fez com que a altura alcançada fosse diminuída.

O motor usado era de cerca de 1000 TU 1100Ns (a TI é o motor "J") tendo o foguete dois pára-quedas. O primeiro deles, com um diâmetro de 1,6 metros, e o segundo com um diâmetro 3,6 metros, foram abertos nas altitudes programadas.

O Sr. Marek Klesc finalizou informado que o modelo do  VS-30 foi equipado com um sistema de recuperação de dupla implantação, com base em um sensor barométrico. Todos os sistemas e peças funcionam perfeitamente, sem apresentarem qualquer problema.

Veja abaixo as fotos e vídeo do lançamento do foguete enviadas o Blog BRAZILIAN SPACE pelo Sr. Marek Klesc.

Duda Falcão

O Sr. Marek Klesc ao lado de seu filho e do modelo do VS-30.
Sequencia do lançamento.

Vídeo do lançamento.

OBS: Como Brasileiro gostaria de sugerir ao Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) que faça uma homenagem a esse fogueteiro eslovaco pelo reconhecimento a tecnologia brasileira de foguetes de sondagens. Para tanto, peço ao IAE que entre em contato com o Blog que passarei o contato do Sr. Marek Klesc, já que não tenho autorização do mesmo para expor publicamente o seu e-mail.

Centro de Pesquisas do Atlântico Pode Deixar Legado Para Humanidade, Diz Ministro

Olá leitor!

Segue agora uma nota postada hoje (20/11) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) destacando que segundo o Ministro Gilberto Kassab, o futuro Centro Internacional de Pesquisa do Atlântico (AIR Center) poderá deixar legado para humanidade.

Duda Falcão

Centro de Pesquisas do Atlântico Pode Deixar Legado Para Humanidade, Diz Ministro

Por ASCOM do MCTIC
Publicado 20/11/2017 - 12h47
Última modificação 20/11/2017 - 12h49

Fonte: Ascom/MCTIC
Ministros Gilberto Kassab e Manuel Heitor abrem
reunião ministerial sobre o AIR Center.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou nesta segunda-feira (20) que a união de esforços para a criação do Centro Internacional de Pesquisa do Atlântico (AIR Center) pode deixar um legado para a humanidade. Kassab participou da abertura da 2ª Reunião Ministerial e Diálogo de Alto Nível Indústria-Ciência-Governo sobre Interações Atlânticas, em Florianópolis (SC).

O encontro reúne representantes de 13 países para debater a criação de uma organização internacional a ser sediada nos Açores, arquipélago em Portugal, focada em pesquisas sobre mudanças climáticas, sistemas de energia, espaço e ciência de dados no Oceano Atlântico.

“Para que tenhamos no médio e longo prazo um planeta melhor, precisamos investir em pesquisa, em especial nos oceanos. Seja para que possamos tirar melhor proveito possível daquilo que eles podem nos oferecer ou no desenvolvimento das pesquisas oceânicas ainda incipientes. Poderemos avançar sensivelmente na coleta de bons resultados na medida em que tivermos essa unidade de esforços, que terá uma importante contribuição e um legado para a humanidade”, disse Kassab.

Para o ministro de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor, o AIR Center é uma ferramenta para criação e compartilhamento de conhecimento. O país lidera os esforços para criação do Air Center. “Precisamos criar novos empregos ao redor do mundo. A única solução de alcançar isso é cada canto do mundo entender melhor a forma que produzimos e compartilhamos o conhecimento. Esse é um grande desafio que nós não podemos fazer sozinhos”, ressaltou.

Já o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, se disse feliz pela cidade ter sido escolhida para sediar o encontro e destacou os avanços do estado em ciência e tecnologia. “Santa Catarina é um estado voltado para a tecnologia e inovação. Temos um ambiente favorável e resultados muito positivos. Nosso estado tem 3,5% da população do país, mas é o sexto maior PIB. Para nós é uma grande oportunidade de poder contribuir e somar forças.”

Até terça-feira (21), ministros e representantes dos países vão discutir a implementação e a agenda do centro de pesquisas para a assinatura de um memorando de entendimentos.


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC)

Comentário: Já disse o que penso sobre esta iniciativa e me dirigir diretamente aos lusitanos. Quando vocês vão entender que o Brasil não é um país sério?  Se o governo de vocês insiste em incluir o Brasil nesta boa iniciativa na área de C&T, acho que tá na hora de vocês averiguarem se tem algo de errado. O Governo Brasileiro não merece a menor confiança e esse boneco chamado Gilberto Kassab não pode garantir sequer as calças que veste, quanto mais fazer projeções e promessas quanto ao futuro desta iniciativa.

El Ministro de Defensa de Brasil Se Reúne Con la Industria Aeroespacial Estadounidense

Hola lector!

A continuación se muestra una noticia en español publicada el día (18/11) en el sitio web de Defensa.com, y publicado el día (19/11) en el sitio web de la Fuerza Aérea Brasileña (FAB), sobre el encuentro, en Washington, del Ministro de Defensa, Raul Jungmann, con representantes de la industria de Estados Unidos.

Duda Falcão

DEFENSA - AMÉRICA LATINA - BRASIL

El Ministro de Defensa de Brasil Se Reúne Con
la Industria Aeroespacial Estadounidense

Por Javier Bonilla
Defensa.com,
18 de noviembre de 2017


El ministro de Defensa brasileño, Raúl Jungmann, participó el lunes pasado en Washington (DC) , de una reunión con el sector aeroespacial privado norteamericano a fin de ampliar la cooperación entre los dos países, estableciendo una agenda de intereses en común, además de identificar posibles alianzas y principales políticas.

Con la presencia de representantes de diversas empresas y asociaciones se abordaron algunos de los temas prioritarios para las dos naciones, con el propósito de generar pautas que puedan ser consolidadas en negocios para industrias de defensa. Según Jungmann, ambos gobiernos deben mantener abiertos los canales de comunicación gubernamentales para que sigan siendo señalados modelos de cooperación binacional de mediano y largo plazo. El ministro brasileño argumentó que la política de defensa debe ser articulada como una cuestión de Estado y que sus agendas principales tenga n continuidad.

Explicó que el sector aeroespacial es estratégico para Brasil: "Estamos reformulando toda su gobernanza para dar para más previsibilidad y, sobre todo, condiciones de ejercer nuestro potencial en esa área, que necesita una ampliación y una mayor atención en términos gubernamentales" , dijo Jungmann.

En la oportunidad, el ministro alentó la participación de empresas norteamericanas en los procesos licitatorios del segundo Satélite Geoestacionario de Defensa y Comunicaciones Estratégicas (SGDC). El primero de los tres satélites del programa fue lanzado en mayo de este año, de la base de Kourou, en la Guayana Francesa. El satélite tiene uso dual, civil y militar. En las comunicaciones civiles utiliza la banda Ka, lo que posibilita acceso a la conexión de banda ancha en todo el territorio nacional. La carga útil militar, compuesta por las bandas X y Ka militar, permite tramitar informaciones afines al área de defensa.

La vicepresidenta de la CompTIA (Information Technology industry & Association), una asociación comercial que representa a la industria de tecnología norteamericana, Liz Hyman, participó en el encuentro. Para ella, Brasil es un mercado aeroespacial prometedor que podrá despertar el interés de diversos inversores norteamericanos. "El consejo empresarial espacial es un conjunto de empresas interesadas en centros de mercado globales y oportunidades de promoción comercial". Nuestra misión es trabajar con asociaciones públicas y privadas. Desde el inicio de las negociaciones , en 2016,ya se han logrado avances en los controles de exportación y otras cuestiones reglamentarias. La expectativa para este segundo año es fortalecer el comercio bilateral de defensa e inversión y aumentar la cooperación tecnológica.


Fuente: Sitio Web de Defensa.com vía sitio web de la Fuerza Aérea Brasileña (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentario: Es el lector, no me gusta el tono de este asunto y se nos puede destruir el sueño y la iniciativa brasileña en el sector espacial, así como la cesión de nuestra seguridad nacional para los Estados Unidos, puede dictar qué estarían interesados en la industria de defensa. Perdemos nuestra identidad, nuestra brasilidade y todo ello con la connivencia del comando de las fuerzas armadas que observar todo decir Amén y golpeando la continencia. Como he dicho, no hay más esperanza, es el fina.

sábado, 18 de novembro de 2017

Encontro de Países no Brasil Discute Criação de Centro de Pesquisas no Oceano Atlântico

Olá leitor!

Segue agora uma nota postada ontem (17/11) no site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) destacando que Encontro de países no Brasil discute criação de Centro de Pesquisas no Oceano Atlântico.

Duda Falcão

Encontro de Países no Brasil Discute Criação
de Centro de Pesquisas no Oceano Atlântico

Por Ascom do MCTIC
Publicado 17/11/2017 - 11h10
Última modificação 17/11/2017 - 11h12

Foto: Ascom/MCTIC

A 2ª Reunião Ministerial e Diálogo de Alto Nível Indústria-Ciência-Governo sobre Interações Atlânticas será aberta nesta segunda-feira (20), às 9h, em Florianópolis (SC), com a presença de ministros e representantes de 11 países. No encontro, será discutida a criação do Centro Internacional de Pesquisa do Atlântico (AIR Center), iniciativa liderada pelo governo de Portugal para utilizar o posicionamento estratégico do arquipélago de Açores nas pesquisas sobre mudanças climáticas, sistemas de energia, espaço e ciências de dados no Oceano Atlântico.

Para o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, o encontro servirá para mostrar que a ciência, transversal e representando as mais diversas possibilidades voltadas à preservação, tem papel fundamental para sustentar nosso progresso. “De uma forma geral, a cooperação internacional efetiva e a articulação de forças entre os diferentes países, a circulação de experiências e conhecimento são benefícios da civilização e algo que deve ser ressaltado. Vamos trabalhar juntos, somar nossos potenciais e empreender esforços em busca do conhecimento e do desenvolvimento científico”, disse o ministro brasileiro.

Recentemente, a União Europeia lançou edital no valor de 33 milhões de euros para financiar pesquisas no Oceano Atlântico. A chamada, lançada no âmbito do programa Horizon 2020 e na esteira da assinatura de tratado de cooperação científica firmado entre Brasil, União Europeia e África do Sul, contempla, inclusive pesquisadores brasileiros.

Angola, Argentina, Brasil, Cabo Verde, Colômbia, Estados Unidos, Índia, Nigéria, Portugal, Espanha, Uruguai e Comunidade Europeia enviarão representantes para a reunião em Florianópolis. Além do ministro Kassab, participam os ministros de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor; dos Negócios Estrangeiros da Argentina, Victor Marzari; de Ciência e Tecnologia da Nigéria, Ogbonaya Onu; e do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação da República de Angola, Maria do Rosário Bragança Sambo; e o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo.

AIR Center

O objetivo do encontro é construir uma organização científica internacional, sediada nos Açores, abarcando uma rede de instituições de ciência, tecnologia e inovação de diversos países para promoção de uma abordagem integradora do conhecimento em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento, a autonomia e a soberania. Além da localização geográfica estratégica, o centro de pesquisa tem infraestrutura para abrigar uma base espacial, instalações para medição de radiação atmosférica e um departamento de oceanografia e pesca.

A expectativa é que o Brasil participe das pesquisas que serão desenvolvidas no AIR Center nas áreas de energia, mar, mudanças climáticas e observação da Terra.  A parceria com Portugal em pesquisa espacial e oceânica, envolvendo o AIR Center, pode mudar o rumo da ciência feita no Oceano Atlântico.

No evento, será assinado memorando de entendimento que fortalece a cooperação para implementação do AIR Center. Trata-se de importante avanço em relação ao acordo celebrado em julho de 2017, quando o ministro Gilberto Kassab participou, em Portugal, da conferência “Uma nova era de iluminismo azul”, voltada ao fomento da cooperação em pesquisas oceânicas. Na ocasião, foi assinada a Declaração de Belém, um tratado de cooperação científica assinado por Brasil, Portugal e África do Sul.

A construção do AIR Center foi proposta pelo governo português durante a 1ª Reunião da Subcomissão de Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação entre Brasil e Portugal, realizada em junho de 2016 e liderada, do lado brasileiro, pelo secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento (Seped), Jailson de Andrade. Na ocasião, a delegação portuguesa manifestou grande interesse pela cooperação no Atlântico, ressaltando a oportunidade de aproveitar estruturas científicas já existentes para o desenvolvimento de uma plataforma de pesquisa internacional.

Serviço

2ª Reunião Ministerial e Diálogo de Alto Nível Indústria-Ciência-Governo sobre Interações Atlânticas – AIR Center
Abertura: 20/11 às 9h no Salão São Miguel
Local: Costão do Santinho Resort, Golf & Spa
Cidade: Florianópolis (SC)
Informações à imprensa Assessoria de Comunicação do MCTIC


Fonte: Site do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC)

Comentário: É Sério??? Será que os Portugueses estão vivendo no mundo da Lua? Vocês ainda não sabem como os governos populistas de merda tratam a Ciência e Tecnologia deste país de mentira??? Está em todos os jornais, sites e meios de comunicação, é só prestar atenção. Enfim... quem procura, acha. Ou devo entender que não existe a menor seriedade e responsabilidade dos lusitanos com esta iniciativa?