domingo, 30 de abril de 2017

Blog Completa Hoje Oito Anos Online

Olá leitor!

No dia de hoje caro amigo (30/04), o Blog BRAZILIAN SPACE completa oito anos online de muito sacrifício, e como havíamos previsto ano passado, continuamos no aguardo por uma mudança de rumo para o nosso “Patinho Feio”, esperança esta que começa entrar pro Reino da Fantasia.

Foi crença por parte de muitos que, com a simples, necessária, desejada e hoje concluída queda da debiloide e de seus “companheiiiiiiros” petralhas, esta mudança viria finalmente ocorrer, crença esta que eu não compartilhava, já que o problema brasileiro é puramente cultural e não uma questão de politica partidária. Em outras palavras, para o PEB tanto faz ter um governo Petralha, Tucano, Pmdebista, ou até mesmo Marciano, esses vermes não tem nenhum interesse nas atividades espaciais do país, há não ser em alguns projetos pontuais de onde eles podem colher benefícios, seja de ondem política ou financeira. 

Entretanto, vale dizer leitor que para nós do BLOG o ano de 2017 é muito especial, pois ao atingirmos esses oito anos de atividades, o fazemos com mais de três milhões de acessos de leitores de diversos países do mundo, uma marca bastante significativa em um país onde parte de sua população ainda acredita que a LUA é a morada de São Jorge.

Porém vale acrescentar leitor que, para nós a existência do Blog BRAZILIAN SPACE começa a perder sentido, já que o mesmo foi criado para a divulgação do desenvolvimento espacial de nosso país, mas ultimamente em sua maioria o que temos feito foi divulgar notícias fantasiosas ou extremamente negativas e nefastas aos verdadeiros interesses do Brasil no setor, contribuindo assim com os interesses e fantasias propagadas por esses vermes que infelizmente são quem detém o poder decisório quanto a este crucial programa para o futuro de nossa sociedade.

Diante deste continuo universo de descrença e caos que atinge o nosso “Patinho Feio” há décadas e sem qualquer real perspectiva de mudança, não há como manter a nossa motivação por muito mais tempo, fora o fato do sacrifício que fazemos para realizarmos um trabalho (vale dizer prazeroso) sem qualquer retorno e com grande custo de tempo para os nossos outros afazeres. Portanto leitor informo que, se não houver uma mudança qualquer que venha alterar este quadro até o final do ano, o Blog BRAZILIAN SPACE seguirá o recente exemplo do Blog PANORAMA ESPACIAL e encerrará as suas atividades.

Duda Falcão

sábado, 29 de abril de 2017

INPE Vai Usar Computador de Bordo Feito em Universidade Para Monitorar Meio Ambiente

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (26/04) no site do “Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI)”, e já abordada aqui no Blog, sobre a decisão do INPE de utilizar um computador de bordo desenvolvido pela Universidade Federal do Ceará (UFC) para monitorar o Meio Ambiente.

Duda Falcão

NOTÍCIAS

INPE Vai Usar Computador de Bordo Feito em
Universidade Para Monitorar Meio Ambiente

Chamado OpenOBC, equipamento construído por estudante da
Universidade Federal do Ceará alia baixo custo e alta confiabilidade
e vai ser integrado a cubesats da Constelação de Nanossatélites para
Coleta de Dados Ambientais.

Por Ascom do MCTIC
Publicação: 26/04/2017 | 10:28
Última modificação: 26/04/2017 | 15:07

Crédito: Divulgação

Um computador de bordo desenvolvido na Universidade Federal do Ceará (UFC) será integrado a um projeto de coleta de dados ambientais por meio de cubesats do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Com baixo custo e alta confiabilidade, o equipamento, chamado Open OBC, é usado para controlar satélites de pequeno porte e fará parte da Constelação de Nanossatélites para Coleta de Dados Ambientais (Conasat), uma iniciativa do Centro Regional do Nordeste (CRN) do INPE.

A peça foi projetada para ser compatível com plataformas de cubesats – satélites com 10 centímetros de altura e até 1,33 quilo de massa – e tem padrão de hardware e software abertos. Cabe ao computador de bordo processar as informações recebidas, além dos dados gerados pelos outros subsistemas do dispositivo. Ele também organiza os dados obtidos pelos diversos sensores instalados no aparato, gerencia e comanda a carga útil; e trata as telemetrias a serem enviadas para a Terra e os telecomandos recebidos pelo satélite.

"O OpenOBC é diretamente responsável pelo sucesso da missão. Ele foi desenvolvido para ser o mais robusto possível, mas obedecendo às restrições para projetos do padrão cubesat", explica o professor do Departamento de Engenharia de Teleinformática da UFC, João Cesar Moura Mota.

Uma das vantagens do computador de bordo, desenvolvido ao longo de 18 meses, é o baixo custo e a alta confiabilidade. Mesmo com a importação de componentes para a confecção da placa de circuito impressa, o custo é reduzido por ser manufaturada no Brasil – o preço final fica em cerca de US$ 70, enquanto no mercado a mesma peça custa mais de US$ 100.

"Foi possível reduzir o custo pelo fato de o processador possuir algumas características de tolerância a falhas e, com isso, economizamos com componentes externos que realizam essas mesmas funções", afirma o engenheiro de teleinformática David Mota, que baseou sua tese de mestrado na UFC na construção do OpenOBC.

O computador de bordo já foi eletronicamente testado e está apto à incorporação com os demais subsistemas dos cubesats integrantes do projeto Conasat que serão lançados ao espaço no futuro.

"Fico feliz em saber que um equipamento que desenvolvi vai estar em um satélite. Espero, de alguma forma, estar contribuindo para o crescimento tecnológico do Ceará e do Brasil", diz David Mota.

Oportunidade de Capacitação

A iniciativa Conasat tem um diferencial: a parceria com universidades federais próximas ao CRN, notadamente a do Rio Grande do Norte (UFRN), além da UFC. O OpenOBC é fruto direto dessa ação. Entre os objetivos estão a formação de recursos humanos em áreas estratégicas para o setor espacial – especialmente para aplicações voltadas ao Sistema Brasileiro de Coleta de Dados Ambientais (SBCDA).

"Nas universidades, temos as mais diversificadas competências e talentos que são necessários para dominar as tecnologias críticas e de acesso restrito, imprescindíveis ao desenvolvimento de sistemas espaciais completos. Com essas parcerias, buscamos fomentar a formação, a captação e a desejável fixação de especialistas qualificados para dinamizar as atividades espaciais no nosso país", ressaltou o chefe do CRN, Manoel Carvalho.

Além do computador de bordo, outros dois equipamentos para cubesats foram desenvolvidos no âmbito do Conasat: o transponder DCS, construído por meio de uma colaboração entre o CRN/Inpe e a UFRN, e um transmissor para plataformas automáticas de coleta de dados ambientais (PCDs) construído por professores do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).

Coleta de Dados Ambientais 

O uso de satélites para o monitoramento de dados do meio ambiente é uma necessidade que vem sendo suprida pelo Sistema Brasileiro de Coleta de Dados Ambientais (SBCDA) desde 1993, quando entrou em órbita o primeiro equipamento projetado e construído no Brasil, o SDC-1. Atualmente, o sistema é composto por três satélites, duas estações de controle e recepção, boias oceanográficas e cerca de 800 PCDs espalhadas por todo o território nacional.

Todo esse sistema tem sido usado em diversas áreas, principalmente no monitoramento de bacias hidrográficas, na previsão meteorológica e climática, nos estudos de correntes oceânicas e da química da atmosfera, nas análises dos níveis de poluição e no prognóstico e mitigação de desastres naturais.


Fonte: Site do Ministério da Ciência,Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI)

Comentário: Pois é leitor, esse é mais um exemplo comprovando que as instituições universitárias do país podem dar sua contribuição em prol do nosso desenvolvimento espacial. A UFC está de parabéns pelo sucesso alcançado  e que sirva de exemplo para outras universidades do país.

INPE Recebe Imagens Preliminares do Satélite Meteorológico GOES-16

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (28/04) no site do “Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)” destacando que o instituto começou a receber imagens preliminares do satélite meteorológico GOES-16, satélite este lançado pelos EUA em novembro do ano passado.

Duda Falcão

INPE Recebe Imagens Preliminares
do Satélite Meteorológico GOES-16

Sexta-feira, 28 de Abril de 2017

A Divisão de Satélites e Sistemas Ambientais do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), está recebendo imagens do GOES-16, lançado pelos Estados Unidos em novembro de 2016 e considerado o satélite meteorológico mais poderoso do mundo.

A National Oceanic & Atmospheric Administration (NOAA) alerta que as imagens são preliminares, ainda não operacionais, e estão sendo submetidas a testes para verificação dos sistemas a bordo do satélite.

Com frequência temporal de 15 minutos, o GOES-16 apresenta capacidade avançada de observação para atender a diversas áreas de aplicação ambiental, como qualidade do ar e visibilidade, clima, formação de nuvens, incêndios, furacões, cobertura de superfície, raios, nevoeiros, ambientes costeiros e marinhos, precipitação e inundações, tempestades severas e tornados, clima espacial e vulcões.

“Essa nova geração de satélites representa uma autêntica revolução no monitoramento ambiental. Os benefícios esperados são derivados de um maior conjunto de instrumentos para a melhora do monitoramento meteorológico, ambiental, climático e dos fenômenos de tempo espaciais e os perigos relacionados”, explica Daniel Vila, chefe da Divisão de Satélites e Sistemas Ambientais do CPTEC/INPE.

O CPTEC e a NOAA mantêm longa parceria para o monitoramento do tempo e clima sobre a América do Sul, resultando em diferentes produtos para a sociedade brasileira. “Esta parceria nos permite receber e disponibilizar, de forma exclusiva para o Brasil, imagens preliminares do GOES-16 para consolidar a liderança do INPE na área de satélites ambientais e reafirmar o nosso compromisso com a sociedade”, afirma Vila.

As imagens estão sendo recebidas pelo sistema Geonetcast, coordenado pela NOAA e o INPE para prover os dados ambientais necessários para as Américas.

Em breve, uma ferramenta para acesso às imagens do GOES-16 estará disponível na página http://satelites.cptec.inpe.br

A seguir, exemplos de imagens de todos os canais do GOES-16 – o novo satélite possui 16 canais – que permitem observar o desenvolvimento de sistemas meteorológicos sobre o oceano Pacífico Sul, além da cobertura sobre a América do Sul continental.

Obs.: O satélite GOES-16 da NOAA não foi declarado
operacional e seus dados são preliminares e estão
sendo submetidos a testes. Os usuários que recebem
esses dados por qualquer meio de disseminação
(incluindo, mas não se limitando, a PDA e GRB)
assumem todos os riscos relacionados ao uso dos
dados do GOES-16 e a NOAA se isenta de quaisquer
garantias, expressas ou implícitas, de comercialização
ou adequação a uma finalidade específica.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Deputados Lançam Frente Parlamentar Para Modernização da Base de Alcântara

Olá leitor!

Trago agora para você a nota oficial da “Agência Espacial Brasileira (AEB)” sobre a instalação na última quarta-feira (26/04), na Câmara dos Deputados, em Brasília, da Frente Parlamentar para Modernização do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Duda Falcão

Notícias

Deputados Lançam Frente Parlamentar
Para Modernização da Base de Alcântara

Coordenação de Comunicação Social – CCS
28/01/2017


Composta por 222 deputados foi lançada na última quarta-feira (26.04), na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar para Modernização do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA/MA) com o objetivo de implementar projetos, valorizar e desenvolver o setor espacial no país.

O diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos da Agência Espacial Brasileira (AEB), Petrônio Noronha, esteve presente à reunião e falou da atuação da Agência Espacial Brasileira (AEB) junto aos órgãos governamentais para fortalecer o Programa Espacial Brasileiro. “Não há programa espacial sem a presença do Estado. É preciso trabalhar com três pilares: ciência e tecnologia, desenvolvimento industrial e segurança nacional”, afirmou.

Programas espaciais tendem a promover a união com uma natureza transversal e os benefícios que eles trazem não levam em consideração a posição geográfica, cor, ideologia, religião ou condição econômica e podem ser mensurados de forma global. “Invariavelmente, tecnologias que beneficiam a agricultura beneficiam toda a sociedade, a navegação por satélite e as comunicações hoje tão comuns e disseminadas a todos os cidadãos”, revela Petrônio.

É importante lembrar que o Brasil já tem há tempos um sistema estabelecido — com a AEB no centro — para tratar das questões espaciais. “Temos o Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), que visa atender a todo o elenco de potenciais benefícios para a sociedade aqui apresentados”, alega Noronha.

Segundo ele, os recursos aplicados no CLA foram priorizados pela AEB no PNAE. “Nos últimos oito anos a AEB investiu cerca de R$ 400 milhões, mas é necessário continuar investindo para que possamos desenvolver sistemas mais complexos e de maior capacidade”, disse. “Para a demanda presente, o nosso Centro está operacional graças à prioridade colocada dentro do PNAE pela AEB, e graças também à cooperação de longa data com o Comando da Aeronáutica, que é responsável pela condução das atividades no Centro”, acrescentou.

O diretor lembrou ainda que a estratégia nacional de defesa inspirou a criação do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE), e que ela explicita a necessidade de uma coordenação com o PNAE e com a AEB. Essa coordenação de natureza civil é norma em todo o mundo sem que haja prejuízo no endereçamento das questões ligadas à área de defesa. “A Agência Espacial Europeia (ESA), por exemplo, coordena tanto em nível nacional como em coletivo, endereçando todas as necessidades científicas de aplicação operacionais e também as de defesa”, ressalta Petrônio.

Segundo o senador João Alberto (PMDB/MA), o Brasil enfrenta dificuldades no programa espacial, mas as condições do Centro de Alcântara atraem o interesse de investimentos dos países parceiros. Para ele, o Brasil precisa definir o papel do Centro de Lançamento e buscar contrapartidas favoráveis de outros países, especialmente na cobrança de transferência de tecnologia em troca do uso da base de Alcântara.

O Centro de Lançamento de Alcântara, no Maranhão, opera há 34 anos, desde sua inauguração, em 1º de março de 1983. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), a unidade já lançou 475 veículos ao espaço. O Centro também realiza atividades na área de administração, logística, pessoal, saúde, segurança, entre outras.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Resultado da 1ª Etapa do Processo Seletivo do Programa NASA I2

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (28/01) no site da “Agência Espacial Brasileira (AEB)”, destacando que saiu o resultado da 1ª etapa do processo seletivo do Programa NASA I2.

Duda Falcão

Notícias

Resultado da 1ª Etapa do Processo
Seletivo do Programa NASA I2

28/01/2017


A Comissão de Seleção da Agência Espacial Brasileira (AEB), no uso de suas atribuições, informa os nomes dos 2 (dois) candidatos pré-selecionados para participar da próxima etapa do Processo Seletivo do Programa NASA-I2 para o período de FALL/2017.

MARCELINO MENDES DE ALMEIDA NETO

ADRIANO CARLOS CANOLLA

Os dois candidatos são estudantes brasileiros de doutorado pleno em universidades americanas e bolsistas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

A próxima fase do processo é conduzida pela própria NASA, e o resultado será divulgado pela AEB a partir de 01/06/2017.

A AEB agradece o interesse dos candidatos que participaram da seleção e deseja a todos muito sucesso, lembrando que novos processos seletivos acontecerão no ano de 2018.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Senador João Alberto Discursa em Plenario em Defesa do CLA

Olá leitor!

O Senador João Alberto Souza (PMDB/MA) esteve dia 26/04 discursando no plenario do Senado Federal em defensa do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA). Segundo o senador pmdebista é preciso definir o papel do CLA. Veja nesse discurso no vídeo abaixo.


Aproveitamos para agradecer uma vez mais ao nosso mais ativo leitor colaborador, Jahyr Jesus Brito pelo envio desse vídeo.

Duda Falcão

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Presidente da AEB Fala em Comissão na Câmara

Olá leitor!

O presidente da nossa Agencia Espacial de Brinquedo (AEB), o Sr. José Raimundo Braga Coelho, esteve participando no dia 26/04 de mais uma dessas palhaçadas intituladas de Audiência Publica, desta vez na COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA da Câmara dos Deputados (que nome pomposo), em Brasília, para participar da apresentação dos planos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para o ano de 2017.

Uma vez mais como de costume esse energúmeno faltou com respeito aos pioneiros do Programa Espacial Brasileiro (PEB) até começando bem o seu discurso, para logo depois começar com aquela estória de que o PEB começou oficialmente como programa quando da criação da antiga Missão Espacial Completa Brasileira (MECB) no final dos anos 70 e no início dos anos 80, fazendo questão até de lembrar aos presentes a sua participação nas discussões da época, convenientemente é claro. É um arrogante desclassificado que gosta de aparecer, mas enfim... Veja abaixo o vídeo.


Aproveitamos para agradecer uma vez mais o nosso incansável leitor Jahyr Jesus Brito pelo envio desse vídeo.

Duda Falcão 

Pesquisador do IAE Lança Livro Sobre Foguetes

Olá leitor!

O pesquisador Ariovaldo Felix Palmerio do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) do Comando da Aeronáutica (COMAER) convida a Comunidade Espacial de todo o país para o lançamento do livro de sua autoria intitulado “Introdução á Tecnologia de Foguetes”.

O evento se realizará dia 12 de maio (sexta-feira) às 18:30 no Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB) em São José dos Campos-SP.

CONVITE


Evento: Lançamento do livro “Introdução á Tecnologia de Foguetes”
Dia: 12/05/2017
Horário: A partir das 18:30
Local: Memorial aeroespacial Brasileiro (MAB)
Cidade: São José dos Campos-SP

Duda Falcão

Com Fim de Greve na Guiana, Brasil Deve Lançar Satélite no Dia 04/05

Olá leitor

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (27/04) no site “Defesanet.com”, destacando que com o fim da greve na Guiana Francesa o Satélite  Frankenstein Francês SGDC será mesmo lançado ao espaço no dia 04 de maio.

Duda Falcão

COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço – Defesa

Com Fim de Greve na Guiana,
Brasil Deve Lançar Satélite

Nacionalistas encerram paralisação após governo francês aceitar
investir ¤ 1,1 bi em território; envio de foguete é marcado para dia 4

Pablo Pereira, Kouro
E Andrei Netto
DefesaNet.com
27 de Abril, 2017 - 10:10 ( Brasília )


Uma crise social e política na Guiana Francesa, com greve geral, bloqueio de estradas e de atividades econômicas e de abastecimento, e até fechamento temporário do aeroporto da capital, Caiena, impede o Brasil desde o dia 21 de março de enviar ao espaço um foguete com satélites, em um projeto de R$ 2,8 bilhões. Um acordo recente entre manifestantes e o governo francês permitiu remarcar o lançamento para 4 de maio.

Por enquanto, o primeiro Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) permanece no chão, em Kourou, a 70 quilômetros da capital do departamento francês na América do Sul. Um comunicado da Arianespace, empresa dona do veículo lançador, que tem na carteira mais de 550 satélites colocados no espaço desde sua criação em 1980, alegou falta de condições mínimas para operar a base.

O movimento grevista, puxado pelo grupo local nacionalista Pou Lagwiyann dékolé (Para a Guiana decolar), forte militância liderada por pelo menos 500 encapuzados vestidos de preto, os “500 Irmãos”, chegou até a ter um grupo de 30 militantes ocupando por 24 horas uma sala do Centro Espacial. Isso adiou também o lançamento de um satélite menor, da Koreasat, da Coreia do Sul, que seria levado com o SGDC brasileiro pelo foguete Ariane 5 no Flight VA 236.

No sábado, o governo da França e os grevistas assinaram um acordo em torno de um “plano de emergência” de um total de € 1,1 bilhão em investimentos nos próximos dez anos para atender às reivindicações da população local. O Palácio do Eliseu se comprometeu também a analisar o pedido de outros € 2 bilhões em investimentos.

O movimento grevista pedia mais investimento na luta contra a insegurança, pelo desenvolvimento das cidades do território, em especial em infraestruturas como água, energia elétrica, serviços de saúde e educação. Entre as medidas anunciadas estão um novo centro médico-cirúrgico, uma estrutura de polícia ampliada e a cessão de terras – 650 mil hectares ao todo – às administrações municiais e regionais do território.

Para Olivier Goudet, um dos membros do Movimento dos 500 Irmãos, que liderou os protestos, o acordo terá curta validade. “Uma vez que o próximo governo tome posse, desde o primeiro dia nós vamos entrar em ação”, garantiu. “O Estado nos deve € 7 bilhões, e não € 2 bilhões.”

Avanço. A colocação do SGDC na órbita da Terra amplia a oferta de banda larga (internet em alta velocidade) no País e permite que as Forças Armadas brasileiras obtenham a soberania no controle de seus sistemas de comunicações e monitoramento de fronteiras, por exemplo. Atualmente, a Defesa nacional compra acesso a canais de satélite de companhias estrangeiras. Com esse satélite em órbita, as comunicações desses órgãos públicos migram para os canais do SGDC.

O equipamento espacial é parte do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), planejado pelo governo brasileiro em 2010. Em 2012, o governo federal pensava em popularizar a internet distribuindo planos de 1 Mbps (Megabite por segundo) a preço de R$ 35 mensais. O satélite brasileiro começou a tomar forma em 2013 com investimento inicial previsto de R$ 2,1 bilhões. O valor atualizado está em R$ 2,784 bilhões, dos quais o Brasil já pagou R$ 2,060 bilhões. O restante, cerca de R$ 724 milhões, deve ser pago até 2019. Em março, segundo informações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o governo informava que o País já havia desembolsado, somente no governo Temer, R$ 495 milhões com o projeto.

O SGDC tem 7,1 metros de altura e pesa 5.735 quilos. O foguete francês o levará até uma distância aproximada de 250 quilômetros. Aos 28m11s do momento do lançamento, segundo a contagem oficial dos técnicos franceses, o satélite será desacoplado para seguir viagem por mais 10 dias, navegando em círculos, até a órbita de permanência, a 35.926 quilômetros da superfície terrestre. Ao alcançar a posição geoestacionária, o equipamento entrará na fase dos testes por um período de dois meses.

“O lançamento do SGDC é um marco para o Brasil”, disse o presidente da Visiona Tecnologia Espacial, Eduardo Bonini, responsável pela gestão e integração do projeto do satélite. Segundo Bonini, o prazo previsto de entrega (setembro de 2016) e o cronograma para a janela de lançamento, aberta agora em Kourou, também seguiu o planejamento do SGDC.

Internet rápida. Construído na França, o satélite é produto de uma parceria da Visiona, criada para o projeto pela Embraer (51%) e Telebrás (49%), em contrato com a companhia franco-italiana Thales Alenia Space, construtora do equipamento em Cannes. O SGDC vai oferecer 57 transponders de banda ka, de uso comercial, e 5 canais de banda X, para uso militar. Com a traquitana no espaço, a Telebrás terá capacidade para transmissão de até 57 Gbps (Gigabytes por segundo), atendendo a demandas de comunicação e internet rápida em rincões como comunidades da Amazônia ao sertão nordestino e pampa gaúcho. O controle em Terra será feito por dois centros espaciais, um no Rio e outro em Brasília, e mais 5 estações da Telebrás.

Um plano de negócios para o potencial alargamento da oferta de internet rápida está em andamento na Telebrás. O governo quer vender de lotes de banda larga para empresas no segundo semestre. A Telebrás já tem o mapeamento dos locais de construção de uma malha de antenas para faturar com a novidade que virá do espaço. No Congresso, a oposição se mobiliza contra o plano da Telebras, criticando a comercialização dos lotes.

“O SGDC é um fato histórico para o Brasil", afirmou o presidente da Telebrás, Antonio Loss, que em março acompanhou uma comitiva do governo brasileiro que esteve em Kourou, quando o lançamento foi adiado a primeira vez por causa da greve que bloqueou o acesso à base espacial e obrigou a transferência do lançamento pelos técnicos do Ariane 5. Será o 287º lançamento feito pelos foguetes da Arianespace.

Tecnologia. "Parado" no espaço, o SGDC vai seguir o Brasil na mesma velocidade da rotação do Planeta com as antenas ligadas 24 horas sobre a área de cobertura - por 18 anos. Segundo cientistas brasileiros do projeto, este é um dos avanços da participação dos engenheiros nacionais na construção do SGDC. Foi um dos técnicos brasileiros quem fez os cálculos de redução de massa e aumento de capacidade de combustível e encontrou a maneira de prolongar a vida útil do equipamento no espaço, prevista inicialmente em 15 anos, acrescentando três anos de funcionamento.

“É como se você iluminasse uma área do globo com a luz de uma lanterna”, explicou o presidente da Telebrás. Um primeiro "facho", a banda ka, cobrirá a superfície brasileira proporcionando acesso à internet e facilitando programas de comunicações entre órgãos do governo. Os Ministérios da Saúde e da Educação têm projetos de integração nacional de escolas e postos de saúde. Com o SGDC em órbita, o Brasil poderá enxergar de alto a baixo a faixa de fronteiras brasileiras, devendo cobrir até as águas territoriais além da Ilha da Trindade, a mais distante da costa, a cerca de 1.400 quilômetros do Espírito Santo.

O segundo "facho" de cobertura, mais amplo, será usado pelo Ministério da Defesa (a banda X). Com comunicação criptografada, as antenas cobrem todo o Continente Sul-Americano, do Atlântico ao Pacífico, de cima a baixo. O projeto inicial, que começou no governo Dilma Rousseff, é uma parceria do Ministério de Ciência e Tecnologia e Inovação e Ministério da Defesa, contratantes da Visiona para a prestação do serviço.

De acordo com técnicos, toda a comunicação governamental (civil e militar) será transferida para dentro do sistema SGDC. Quando não prestar mais para nada, lá por 2035, o satélite ainda terá forças para subir no céu para além da órbita dos 100 mil quilômetros, onde ficará girando para sempre no lixão das tralhas espaciais.



Comentário: Bom, para quem ainda se interessa por esse engodo, tá aí a confirmação da notícia anterior divulgada pelo Blog sobre o lançamento desse Satélite Frankenstein Francês SGDC.

Frente Pela Modernização da Base de Alcântara

Olá leitor

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (27/04) no site “Defesanet.com”, destacando que a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados apoiará a reestruturação e o fortalecimento do Programa Espacial Brasileiro (PEB).

Duda Falcão

COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Defesa

Frente Pela Modernização da Base de Alcântara

Comissão apoiará reestruturação do Programa Espacial Brasileiro

DefesaNet.com
27 de Abril, 2017 - 10:30 ( Brasília )


A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados apoiará a reestruturação e o fortalecimento do Programa Espacial Brasileiro, bem como a transformação da Base de Lançamentos de Alcântara, no Maranhão, em um centro espacial.

A declaração foi feita nesta quarta-feira (26) pela presidente da comissão, deputada Bruna Furlan (PSDB-SP), durante evento de apresentação da Frente Parlamentar para a Modernização do Centro de Lançamentos de Alcântara.

Segundo a deputada, haverá audiências públicas sobre o tema no colegiado. "Já aprovamos dois requerimentos a respeito e apreciaremos mais um para ouvirmos autoridades do Ministério da Defesa, do Comando da Aeronáutica e da Agência Espacial Brasileira.”

Presidente da frente, o deputado José Reinaldo (PSB-MA) disse que Alcântara “é um dos melhores locais do mundo para lançamentos aeroespaciais, devido à sua proximidade com a Linha do Equador, e que a dinamização do centro trará reflexos diretos ao desenvolvimento tecnológico brasileiro”.

Segundo José Reinaldo, o mercado mundial de lançamento de satélites movimenta cerca de 300 bilhões de dólares por ano e o Brasil precisa priorizar os investimentos no programa espacial, que, em 2016, recebeu apenas R$ 300 milhões.

O deputado Pedro Fernandes (PTB-MA), autor de requerimento para ouvir na comnissão autoridades ligadas ao setor, disse que o objetivo é debater com as instituições formas de contribuição com o crescimento do centro de lançamentos, explicar sua relevância para a soberania nacional, a potencialidade que possui e os acordos de cooperação internacional na área.



Comentário: É engraçado observar a Deputada Bruna Furlan (PSDB-SP) falar que vai apoiar o PEB, já que quando os Tucanos estavam no poder em momento algum eles fizeram isso, mas demonstra a falta de seriedade como a questão espacial é tratada no país. Outro sinal nesta direção é que até agora a Agencia Câmara não publicou absolutamente nada sob o assunto, há não ser duas notas anteriores sobre a realização do evento. Vale dizer leitor e você pode observar pelo vídeo abaixo que a primeira vez que a ideia da criação desta Frente Parlamentar foi apresentada em plenário ocorreu na manhã do dia 31 de agosto do ano passado, quando então o deputado federal Pedro Fernandes (PTB) subiu a tribuna para falar sobre o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e sobre esse assunto.


No entanto leitor essa não é a primeira Frente Parlamentar nem a última a ser criada por esses vermes energúmenos, e ingênuo é quem acredita mesmo que essa história vai dar em algo de positivo para o país, além da grande possiblidade de se gerar ainda mais merda. Ah! Antes que o leitor viaje na maionese, a imagem acima do SARA é meramente ilustrativa. Aqui vale também mais um agradecimento ao nosso leitor Jahyr Jesus Santos pelo envio deste vídeo.

Agência ALEMA Promove Debate Sobre o CLA e o PEB

Olá leitor!

No dia 31 de março passado o programa “Mesa Redonda” da Agência ALEMA (Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão) exibiu um debate tendo como tema o “Centro de Lançamento de Alcântara (CLA)” e as atividades espaciais do país.

Trago agora para você leitor esse interessante debate através do vídeo abaixo e lhe convido a assistir na íntegra esse bate-papo promovido pela ALEMA com o Deputado Estadual Bira do Pindaré (PSB/MA), o Secretário de Ciência e Tecnologia e Inovação do Estado do Maranhão Jhonatan Almada e o Dr. Prof. Allan Kardec Duailibe do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), tendo como mediador o jornalista Luiz Pedro.


O vídeo tem pouco mais de 40 minutos, portanto acomode-se da melhor forma possível e se prepare para ouvi-lo com atenção. Aproveito para agradecer o nosso incansável leitor Jahyr Jesus Brito por ter descoberto e nos enviado esse vídeo. Agora é com você caro leitor e o debate está aberto.

Duda Falcão

Atualizando Nossas Campanhas

Olá leitor!

Esta é a última quinta-feira  do mês de abril e sendo assim é dia de atualizar você sobre as nossas campanhas em curso.

Bom leitor quanto à “Campanha para Regulamentação das Atividades de Grupos Amadores”, até agora 16 grupos já se inscreveram. São eles Auriflama FoguetesBANDEIRANTE Foguetes EducativosCEFABCEFEC, Grupo Carl Sagan, Grupo CEPAGrupo GREAVE, Grupo de Desenvolvimento Aeroespacial (GDAe) da UFC, Grupo Pionners,  Grupo Supernova Rocketry, Infinitude FoguetismoITA Rocket Design, NTA,, PEUE (Pesquisas Espaciais Universo Expansivo), Projeto Jupiter  e UFABC Rocket Design. Vamos lá gente, cadê os grupos amadores desse país, vocês não querem se organizar? (OBS: Continuo esperando que os 13 grupos inscritos respondam se há algum entre vocês que tem o interesse de organizar e sediar um ‘Seminário’ para discutirmos as atividades de espaçomodelismo no Brasil?)

Já quanto á “Campanha de Manutenção do Blog”, não houve mudança, apenas três colaboradores realizaram até o momento as suas contribuição no mês de abril no vakinha.com.br. Foram eles:

1 - Carlos Cássio Oliveira (presidente do CEFAB)
2 - Leo Nivaldo Sandoli
3 - Mariana Fraga

OBS: informo aos leitores que ainda não sabem que  a campanha de manutenção do Blog pode ser acessada pelo link: http://www.vakinha.com.br/vaquinha/manutencao-do-blog-brazilian-space.

Enfim... vamos continuar aguardando que a partir da próxima semana haja uma mudança de postura de nossos leitores com as nossas campanhas, para que assim possamos efetivamente continuar contribuindo com o Programa Espacial Brasileiro, e quem sabe, com a permanência do blog online ou a criação do Portal Espacial que é hoje o nosso principal objetivo.

Duda Falcão

BR-RU - Ministros Jungmann e Shoigu Reunem-se em Moscou

Olá leitor

Segue abaixo uma matéria publicada ontem (26/04) no site “Defesanet.com”, destacando que o Ministro da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, e o Ministro da Defesa da Rússia, General-de-Exército Sergei Shoigu, reuniram-se dia 25/04, em Moscou, antes  da abertura dos eventos da VI Moscow Conference on International Security (MCIS).

Duda Falcão

COBERTURA ESPECIAL - Brasil - Rússia - Defesa

BR-RU - Ministros Jungmann e
Shoigu Reunem-se em Moscou

Os ministros da Defesa do Brasil e Rússia reuniram-se em Moscou durante
os eventos do VI Moscow Conference on International Security (MCIS)

DefesaNet.com
26 de Abril, 2017 - 16:40 ( Brasília )


O Ministro da Defesa da Rússia, General-de-Exército Sergei Shoigu, e do Brasil Raul Jungmann reuniram-se, dia 25 ABR,  em Moscou, antes  da abertura dos eventos da VI Moscow Conference on International Security (MCIS)

Falando sobre o atual momento e intensidade do diálogo russo-brasileiro, o chefe das Forças Armadas da Federação Russa observou que é prevista uma movimentada agenda de conversações entre os dois países durante a visita oficial do Presidente do Brasil, Sr Michel Temer, a Moscou, em 21 de junho deste ano.

General-de-Exército Sergei Shoigu disse que o Ministério da Defesa russo aprecia a disposição do Presidente do Brasil para retomar o diálogo bilateral, em todos os níveis, e cooperação mutuamente benéfica em vários campos, incluindo a cooperação técnico-militar.

"Compartilhamos visões semelhantes sobre uma série de questões internacionais. Estamos participando com sucesso em vários fóruns multilaterais - a ONU, G-20 e os BRICS, - acrescentou o ministro da Defesa da Rússia.

Por sua vez, os Ministro Raul Jungmann disse que o Brasil considera a Rússia como um dos fatores básicos de estabilidade Mundial, os dois países compartilham pontos de vista comuns em muitas questões internacionais.

"Em junho deste ano, está prevista a segunda reunião bilateral entre a Rússia e o Brasil a nível de Chefes de Defesa. Nesta ocasião, gostaria de renovar o convite ao Sr. Ministro, a visitar o Brasil - disse Raul Jungmann. - Espero que os nossos futuros encontros ajudem a elevar o nível das nossas relações a um patamar ainda mais elevados em no campo militar e cooperação técnico-militar".

Também no futuro próximo espera-se que possamos ter treinamentos militares - Russo no Brasil e Brasileiro na Rússia.

Em outro momento o Ministro Raul Jungmann fez um pronunciamento na VI Moscow Conference on International Security (MCIS) ( ver matéria Jungmann defende, na Rússia, o fim das armas nucleares e atômicas Link)




Comentário: Bom leitor, essa notícia nos interessa, pois se realmente o uso da Base de Alcântara está sendo discutida com os Russos, certamente esse assunto foi abordado neste encontro entre o energúmeno brasileiro e o militar russo.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Eleita a Logomarca da BAR

Olá leitor!

Foi postado no dia de hoje (26/04) no "Blog Minifoguete", uma nota informando que já foi escolhida a logomarca da Associação Brasileira de Minifoguetes (ABMF), ou BAR (Brazilian Association of Rocketry), nomenclatura esta a qual os fogueteiros associados parecem preferir quando se referem a mesma. Veja abaixo.

Duda Falcão

Eleita a Logomarca da BAR

A logomarca da Associação Brasileira de Minifoguetes está na figura abaixo.

Logomarca da Associação Brasileira de Minifoguetes.

A BAR recebeu 26 propostas de logomarca das seguintes 11 pessoas e uma equipe de foguetes:

* Alice Serafim Marchi

* André Vanzolin

* Beyond Rocket Design

* Carlos Cássio Oliveira

* Cecília Serafim Marchi

* Cícero Serafim Marchi

* Éderson Luiz dos Santos Dias

* Francélio Hardi

* José Roberto de Andrade e Paula

* Pedro Daun

* Saulo Carneiro Cardoso

* Simone Rodrigues de Sousa

Houve 30 votos válidos de sócios cadastrados na BAR.

O vencedor do concurso foi Saulo Carneiro Cardoso, estudante da Universidade Federal do Ceará, cuja proposta recebeu 14 votos válidos ou 47% dos votos válidos.

Agradecemos a todos que participaram com propostas e que votaram.

A BAR concederá como prêmio ao vencedor um kit de minifoguete comercial e um certificado a serem entregues durante o IV Festival Brasileiro de Minifoguetes em Curitiba no dia 1 de maio de 2017.


Fonte: Blog “Minifoguete“ - http://minifoguete.blogspot.com.br

Comentário: Bom, bom, muito bom mesmo. Avante BAR.