sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

EMBRAPA Participa na Elaboração do Programa Espacial Brasileiro

Olá leitor!

Segue abaixo uma curiosa notícia postada dia (15/02) no portal “MundoGEO” informando que o Programa Espacial Brasileiro (PEB) sendo elaborado de forma participativa por instituições públicas e privadas e entre elas a EMBRAPA.

Duda Falcão

Notícias

EMBRAPA Participa na Elaboração
do Programa Espacial Brasileiro

Programa está sendo elaborado de forma participativa por instituições
públicas e privadas demandantes de produtos e serviços do setor espacial

Por MundoGEO - 16h06,
15 de Fevereiro de 2018


Três membros da Embrapa Territorial (Campinas, SP) vão representar a Embrapa na elaboração do Programa Espacial Brasileiro, sob coordenação da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Os analistas Paulo Roberto Rodrigues Martinho e Osvaldo Tadotomo Oshiro e a pesquisadora Janice Freitas Leivas deverão responder a seis questionários relacionados a atividades espaciais compreendidas em grandes grupos de abrangência: observação da terra; coleta de dados; meteorologia; comunicações; missões científicas; posicionamento e navegação.

O Programa Espacial Brasileiro será elaborado de forma participativa. Os questionários serão respondidos por instituições dos setores público e privado demandantes de produtos e serviços do setor espacial. As equipes responsáveis deverão entregar os arquivos preenchidos até 23 de fevereiro.

Nessa etapa de consulta, espera-se que sejam apontadas as reais necessidades do País relacionadas ao setor espacial. Elas deverão ser analisadas pelos especialistas das instituições demandantes, da AEB e das demais instituições do Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (SINDAE), em uma segunda etapa, a fim de identificar as tendências tecnológicas e as prioridades do Brasil para o setor, com base em interesses comuns e direcionamento do Estado.


Fonte: Portal MundoGEO - 15/02/2018 - http://mundogeo.com/

Comentário: Estranho essa notícia leitor, muito estranho mesmo. Quando foi mesmo que esses vermes Populistas de Merda chegaram a dar ouvidos a Comunidade Cientifica, Industrial e Espacial do país???? Essa história precisa ser acompanhada com mais atenção, pois pode ser mais um jogo de cena desses vagabundos e todos esses questionários acabarem em alguma gaveta burocrática perdida em Brasília criada com este fim.

Efeitos da Radiação em Tripulações e Sistemas Embarcados São Objeto de Estudo do IEAV

Olá leitor!

Segue uma nota postada ontem (22/02) no site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) destacando que Efeitos da Radiação em Tripulações e Sistemas Embarcados são objeto de estudo neste instituto.

Duda Falcão

Efeitos da Radiação em Tripulações e Sistemas
Embarcados São Objeto de Estudo do IEAV

IEAv – Instituto de Estudos Avançados
22/02/2018

Brasil, no contexto da Dimensão 22, não pode prescindir do uso do espaço para benefício de sua sociedade e aprimoramento de seus sistemas de defesa. Incluir o País num cenário global onde poucos detêm a capacidade gerencial, operacional, tecnológica e industrial para fazer uso do espaço requer esforço coordenado entre diversos segmentos da sociedade, a fim de conquistar a independência do Setor Aeroespacial brasileiro. É com esse foco, principalmente na área tecnológica que o Instituto de Estudos Avançados – IEAv – desenvolve pesquisas nos efeitos que a radiação cósmica provoca sobre os organismos das tripulações e sobre os sistemas eletrônicos embarcados em aeronaves e veículos espaciais, em especial na região do Espaço Aéreo Brasileiro.


Instituições pertencentes ao conceito da “tríplice hélice”, como a USP (academia) e a EMBRAER (empresa), já demonstram elevado interesse no assunto e reconhecem a relevância do tema, motivo pelo qual manifestam uma procura constante por palestras e estudos que envolvam o assunto.

Nesse sentido, o Pesquisador Dr. Claudio Federico, do efetivo do IEAV/DCTA proferiu uma palestra, no dia 29/01/2018, na “XX Escola de Verão Jorge André Swieca de Física Nuclear Experimental” do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IFUSP). A palestra, intitulada “Dosimetria da Radiação Ionizante de Origem Cósmica no Espaço Aéreo Brasileiro” abordou tópicos  resultantes de diversos estudos e projetos desenvolvidos junto ao Laboratório de Dosimetria Aeroespacial (LDA) e ao Laboratório de Radiações Ionizantes (LRI) do IEAv, os quais realizam pesquisas nesse tema desde 2008.


“O convite, vindo de uma instituição de prestígio como o IFUSP, é motivo de orgulho para o nosso grupo de pesquisa, pois demonstra o reconhecimento da comunidade científica sobre o trabalho de medição e acompanhamento da dose de radiação cósmica em aeronaves que vêm sendo desenvolvido no LDA, atualmente o único laboratório especialmente instrumentado e capacitado para esse tipo de medição na América do Sul”, comenta o Dr. Claudio Federico, líder da pesquisa no IEAv e elemento de referência do assunto a nível nacional e internacional.

Segundo o Cel Av Lester de Abreu Faria, Diretor do IEAv, é somente por meio do conhecimento e pesquisa em temas dessa natureza que o Brasil conseguirá desenvolver seus próprios sistemas aeroespaciais, mitigando problemas que podem vir a ocorrer com suas tripulações e nos sistemas críticos embarcados. Trata-se de independência tecnológica, ausência de embargos e de geração de assimetria positiva de poder.


Fonte: Site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv)

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Instituto de Estudos Avançados (IEAV) Dá Um Grande Passo na Conquista do Vôo Hipersônico

Olá leitor!

Segue uma nota postada (19/02) no site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) destacando que o instituto dá finalmente um dá um grande passo na conquista do Vôo Hipersônico.

Duda Falcão

Instituto de Estudos Avançados (IEAV) Dá Um
Grande Passo na Conquista do Vôo Hipersônico

IEAv – Instituto de Estudos Avançados
19/02/2018


A Concepção Estratégica “Força Aérea 100” tem por finalidade precípua estabelecer a visão para a Força Aérea Brasileira (FAB), ao completar “100 anos” de sua criação. Assim, tem por finalidade orientar a construção da capacidade militar desejada, buscando compor o esforço principal da Defesa Nacional, bem como balizar o Planejamento Estratégico da Força, cujo cumprimento resulta em configurações de forças militares aptas para a consecução da missão constitucional.


Conceitos desafiadores representam a intrínseca visão inovadora dos profissionais do ar e espaço. É nesse contexto que surgiu o Projeto 14-X, atualmente desenvolvido pelo Instituto de Estudos Avançados – IEAv. Ele utilizará o próprio ar atmosférico como oxidante para a queima do hidrogênio líquido (combustível), levando oxigênio somente para a queima do combustível no trajeto fora da atmosfera terrestre.

A fim de desenvolver avançar com o Projeto, o Comando da Aeronáutica firmou um contrato com a Empresa Orbital Engenharia, a fim de que a mesma fornecesse serviços de Confecção de Projeto Executivo do Projeto de Engenharia de Sistemas para Integração do Demonstrador Tecnológico Scramjet 14-X S a um Veículo Lançador de Referência. Tal trabalho se encontra dividido em quatro Fases, quais sejam: Definição da Missão; Configuração do Sistema Integrado; Projeto Preliminar; e Projeto Detalhado.


No dia 29/01/2018, a Empresa Orbital Engenharia entregou a primeira etapa do contrato, oportunidade esta em que foi realizada uma solenidade formal, à altura da importância que a referida etapa representa para o projeto. Equipes do IEAv e da Orbital se reuniram na Empresa e os documentos foram entregues pelo Sócio Majoritário, Dr. Celio Costa Vaz ao Dr. Israel, fiscal do contrato do IEAv.

Segundo o Dr. Israel, o domínio da tecnologia hipersônica gera um grande diferencial de poder, na medida em que se mostra como um dos meios mais eficientes de acesso ao espaço, podendo ser utilizada para colocar satélites em órbita e fazer vôos suborbitais. Além disso, tal tecnologia pode ser usada em outras áreas como em mísseis intercontinentais ou na aviação civil, onde uma viagem de São Paulo a Londres duraria cerca de uma hora.

O Cel Av Lester de Abreu Faria, Diretor do IEAv, ressalta ainda que “com o domínio desta tecnologia, o Brasil passa a ter a oportunidade inédita de seguir na dianteira de uma linha de pesquisa avançada em um momento estratégico, uma vez que nenhum país no mundo domina a tecnologia dos motores hipersônicos. Outros países que buscam dominar essa tecnologia são os Estados Unidos, Japão, Austrália, Rússia e China,os quais estão atualmente em igualdade de condições com o Brasil na referida corrida tecnológica.”

A previsão é que o 14-X faça seu primeiro voo teste em 2020 e será capaz de atingir dez vezes a velocidade do som (12.258 km/h).



Fonte: Site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv)

Comentário: Bom leitor, tenho um respeito muito grande por todos os institutos militares de ciência e tecnologia do país, aí incluído o IEAv, porem não tenho como levar uma notícia desta a sério, principalmente quando o instituto coloca o Brasil nesta área em pé de igualdade com o que está sendo feito nos Estados Unidos, Japão, Austrália, Rússia e China, o que não é verdade, já que todos esses países já realizaram pelo menos um voo hipersônico, enquanto o 14X não passou até hoje de apresentações em power point e vem adiando seu primeiro voo atmosférico desde 2011. Sinceramente espero que essa nova previsão de voo em 2020 se cumpra, e essa novela tenha um fim. Vamos aguardar os acontecimentos. Aproveitamos para agradecer a nossa leitora Mariana Amorim Fraga pelo envio dessa notícia.

Brasil Tenta Parceria Com SpaceX e Boeing Para Lançar Foguetes no Maranhão

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (22/02) no site “UOL Notícias” destacando que o Brasil o está tentando parceria com SpaceX e Boeing para lançar foguetes no Maranhão.

Duda Falcão

UOL NOTÍCIAS – Economia

Brasil Tenta Parceria Com SpaceX e Boeing
Para Lançar Foguetes no Maranhão

Por Aiuri Rebello
Do UOL, em São Paulo
22/02/2018 - 04h00

Foto: Lucas Lacaz Ruiz - 12.jul.2012/Agência O Globo
Torre móvel de lançamento com foguete no CLA, no Maranhão.

Após o fracasso da parceria firmada com a Ucrânia 15 anos atrás, o governo federal negocia com as empresas norte-americanas SpaceX e Boeing, entre outras, o uso do CLA (Centro de Lançamento de Alcântara), no Maranhão, para lançamento de foguetes em missões espaciais até 2021. De acordo com o Ministério da Defesa, a base de lançamento tem o potencial de gerar 1,5 bilhão de dólares por ano ao país.

A SpaceX é hoje a principal companhia privada dedicada à exploração espacial e, no dia 6, lançou ao espaço a partir dos EUA o Falcon Heavy, o foguete mais potente da história.

A Boeing é uma das maiores empresas de construção de aeronaves do mundo e também produz componentes, satélites e veículos espaciais -- a empresa é fabricante dos ônibus espaciais usados pela NASA (a agência espacial norte-americanna) para levar astronautas ao espaço.

Primeira Parceria Deve Ser em Breve, diz Major-Brigadeiro

"Ainda não há nenhuma parceira fechada, mas estamos conversando e negociando com várias empresas do setor aeroespacial, incluindo a SpaceX, para o uso da nossa base em Alcântara", afirma o major-brigadeiro Luiz Fernando Aguiar, presidente da Comissão Coordenadora de Implementação de Sistemas Espaciais da FAB (Força Aérea Brasileira).

"Algumas dessas conversas estão bem  adiantadas e devemos anunciar a primeira parceria em breve", declara.

Em novembro, os militares da Aeronáutica receberam uma comitiva de executivos de empresas norte-americanas do setor aeroespacial. De acordo com a FAB, havia representantes das companhias Vector Space Systems, Microcosm, Boeing e da gigante da área militar aeroespacial Lockheed Martin.

Visita da SpaceX Cancelada Por Causa do Falcon Heavy

Segundo o major-brigadeiro Aguiar, os executivos da SpaceX faziam parte do grupo, mas cancelaram a vinda ao Brasil na última hora, pois tiveram que resolver imprevistos relacionados ao lançamento no início do mês do foguete Falcon Heavy.

A comitiva conheceu o complexo aeroespacial de São José dos Campos (91 km de São Paulo) e depois a base de lançamentos no Maranhão. "Mostramos para eles as possibilidades do nosso centro, que tem todas as condições de abrigar projetos espaciais destas companhias", diz o major-brigadeiro a frente da iniciativa.

"Nossa base tem a melhor localização do mundo para lançamentos espaciais, as empresas sabem disso e, assim como a gente, querem aproveitar esse potencial', afirma Aguiar.

Alcântara, na região metropolitana de São Luís, fica próxima à linha do Equador. A localização é estratégica para lançamentos espaciais, pois oferece um caminho mais curto para os foguetes saírem da atmosfera e serem colocados em órbita -- a economia de combustível pode chegar a 30% em relação a outros pontos de lançamento nos EUA e na Europa, por exemplo. Apesar disso, o Brasil nunca conseguiu aproveitar o potencial aeroespacial do lugar.

Falta Acordo Para Proteger Tecnologia dos EUA

A concretização destas negociações, no entanto, depende da aprovação e entrada em vigor de um acordo de salvaguardas tecnológicas com os Estados Unidos. O instrumento jurídico internacional serve para instituir garantias legais para proteger o acesso e direitos sobre tecnologias de ponta de um país ou empresa em parcerias internacionais.

Como cerca de 80% de todos os foguetes e satélites produzidos no mundo possuem tecnologias norte-americanas --incluindo os equipamentos da SpaceX e da Boeing--, a falta de um acordo com os norte-americanos inviabiliza a parceria brasileira com praticamente qualquer empresa ou governo que use tecnologia dos EUA.

O esboço do acordo original, enviado para o Congresso Nacional em 2000, quando começou a aproximação com a Ucrânia, não havia sido aprovado até 2016, quando foi retirado da pauta a pedido do governo.

Melhor Localização Geográfica do Mundo

No ano passado, o governo brasileiro enviou uma contraproposta para o governo norte-americano. Ainda não houve resposta. Caso os EUA aceitem a proposta, ela tem de ser aprovada pelo Congresso de lá e, depois, ser aprovada no Congresso Nacional.

Em dezembro, o ministro da Defesa brasileiro, Raul Jungmann, esteve nos Estados Unidos para tratar do acordo com o governo norte-americano. "Existe espaço para reduzirmos as diferenças e desacordos na proposta", afirmou Jungmann ao portal norte-americano especializado na área de Defesa "Defense News" na ocasião.

"É muito importante para ambos os lados, Alcântara é considerada a melhor base de lançamento do mundo em termos geográficos", disse ao confirmar que a proposta brasileira está em análise no Pentágono.

Base Pode Render até US$ 1,5 Bilhão Para o Brasil

Antes, em abril, Jungmann havia conhecido o CLA no Maranhão. "Dado o mercado hoje e o valor de um lançamento, que pode girar de US$ 30 milhões a US$ 120 milhões (de R$ 87 milhões a R$ 390 milhões), nós temos condições aqui de gerar recursos da ordem de US$ 1,2 bilhão a US$ 1,5 bilhão (de R$ 3,9 bilhões a R$ 4,85 bilhões) ao ano para o Brasil", afirmou durante a visita.

O ministro também falou que poderá haver parcerias com outros países para a expansão do projeto em Alcântara. "Rússia, França, Israel e Estados Unidos já demonstraram interesse. Também garantiremos a participação de empresas e órgãos nacionais", disse.

Agência Espacial Será Reformulada

No início do mês, o presidente Michel Temer publicou um decreto criando o CDPEB (Comitê de Desenvolvimento do Programa Espacial Brasileiro). O colegiado, que terá prazo de 360 dias para concluir os seus trabalhos, terá como objetivos fixar, por meio de resoluções, diretrizes e metas para a potencialização do Programa Espacial Brasileiro e supervisionar a execução das medidas propostas.

De acordo com o major-brigadeiro Aguiar, esse é o primeiro passo de uma reformulação que visa fortalecer o PEB (Programa Espacial Brasileiro). "Acredito que até março, a AEB [Agência Espacial Brasileira] será vinculada diretamente à Casa Civil da Presidência da República.

Hoje, a AEB está subordinada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações." A Casa Civil não confirmou nem negou a mudança de estrutura na AEB.

Uma pessoa ligada à Boeing confirma as negociações com a FAB e com a AEB. Oficialmente, no entanto, a empresa não se posiciona sobre o tema.

A reportagem procurou, por e-mail e por telefone, a SpaceX, a AEB e o Ministério das Relações Exteriores, por meio de suas assessorias de imprensa, para comentar o teor da reportagem e prestar informações adicionais. Não houve resposta até a publicação desta reportagem.


Fonte: Site UOL Notícias – https://noticias.uol.com.br

Comentário: Bom leitor, como se pode observar a coisa parece está próxima de acontecer. Como eu disse em meu artigo essa manhã, o problema não é o Acordo em si com os EUA que realmente precisa ser feito para tornar o CLA viável comercialmente, e sim à forma, a real motivação e por quem ele terá as suas negociações conduzidas do lado brasileiro. Além disso, vale lembrar que desde a implantação do CLA a ideia de comercializar sítios de lançamentos para outros países fazia parte dos planos, não tendo nada de novo nesta iniciativa, já que a mesma fazia parte da desejada criação do CEA (Centro Espacial de Alcântara). Porém não há como não sentir calafrios tendo esses Populistas de Merda afrente e os militares envolvidos infelizmente dizendo amém a tudo que eles querem, principalmente quando se vê nas negociações o nome BOEING, reconhecido braço direito da CIA nas relações internacionais dos EUA. Preocupante leitor, extremamente preocupante. Vamos aguardar os acontecimentos. 

Moradores Relatam Explosão e Encontram Objeto Após Clarão no Céu da Bahia: 'Pedi Força a Deus e Fechei os Olhos'

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada também ontem (21/02) no site “G1” do globo.com tendo como destaque o tal Clarão que foi observado na ultima terça-feira (20/02) no céu da Bahia.

Duda Falcão

BAHIA

Moradores Relatam Explosão e Encontram
Objeto Após Clarão no Céu da Bahia:
'Pedi Força a Deus e Fechei os Olhos'

Estrutura foi localizada no distrito de Monte Gordo,
no município de Camaçari, região metropolitana de Salvador.

Por Juliana Almirante, G1 BA
21/02/2018 12h32
Atualizado há 16 horas

'Clarão no céu' assusta moradores de várias cidades da Bahia.

Moradores de Monte Gordo, distrito do município de Camaçari, na região metropolitana de Salvador, contaram ao G1 que escutaram uma explosão e que, logo depois, encontraram um objeto que teria caído do céu na noite de terça-feira (20).

A estrutura, que parece de ferro, tem cerca de 2,9 kg e 15 cm. A situação ocorreu no momento em que outras pessoas também relataram ter visto um clarão no céu na capital e outras cidades baianas.

O objeto foi encontrado em uma área de vegetação que fica no entorno de uma loja de materiais de construção. Há um pequeno buraco no local da suposta queda.



Dono de um terreno em Monte Gordo, Edinei da Silva Almeida diz que estava queimando uma área de vegetação quando ouviu a explosão. Depois, encontrou o objeto no terreno vizinho.

"Eu não vi clarão no céu porque eu
pedi força a Deus e fechei os olhos".

(Foto: Juliana Almirante / G1)
Edinei conta que escutou uma explosão e depois fechou os olhos.

Almeida detalhou a situação. "A peça não caiu onde eu estava queimando. A peça caiu em uma distância de 400 metros no terreno vizinho. Foi muito preocupante e eu estava muito próximo. Pedi ajuda aos vizinhos pra entender o que tinha acontecido e começamos a procurar. A gente seguiu na direção da explosão e achou essa peça", contou.

Mateus Adilson também mora nas proximidades do terreno e ouviu a explosão. "O chão vibrou. A gente estava no sofá na hora. A gente ficou assustado porque nunca viu uma coisa dessas".

Aleonidas Cardoso dos Santos trabalha em uma casa na região e também diz que viu o objeto cair. "A gente ouviu uma explosão que chamou atenção. Eu vi cair na casa um negócio. De manhã vim ver o que era. Aí vi as árvores quebradas até chegar até a peça", relatou.

O professor e doutor em geologia, Wilton Carvalho, também falou sobre o caso e disse ter ficado impressionado com o fenômeno. Ele ainda explicou o que pode ter ocorrido.

"A explosão que foi gravada demonstra que pode ter sido um meteorito, de fato. É uma contradição porque há testemunhas dizendo que ouviram explosões em Ilhéus e esse som não poderia chegar em Ilhéus nunca. Queremos ver essa rocha ou esse pedaço de ferro que foi achado em Monte Gordo porque tudo indica que foi um meteorito", explicou Carvalho.

"Clarão" no céu intriga moradores
de Salvador e do interior da BA.

O professor disse ainda que é possível que o meteorito caiu parte em Salvador, e outra em Ilhéus, no sul da Bahia, e há cerca de 460 km da capital baiana.

"A distância para um meteorito, de 300 km a 400km, é quase nada porque ele viaja muito rápido. O meteorito vem com uma velocidade muito alta e quando ele entra na atmosfera terrestre, com mais de 40 km/h, vai amortecendo, diminuindo essa velocidade, mas quando ele explode, ele perde a velocidade e começa a cair pela força de gravidade, que dá uma velocidade a ele de mais ou menos 300km/h a ele chegar ao solo e pode realmente causar um estrago",

Apesar da maior parte dos especialistas que viram ou souberam do fenômeno, acreditar que ocorreu a queda de um meteorito, a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), informou que existe a possibilidade de partes de um foguete russo ter caído na Bahia.

A Rússia mandou esse foguete para uma estação espacial, e durante o deslocamento, alguma parte do foguete pode ter se soltado.

Um mapa publicado no dia 16 de fevereiro pela Bramon, mostra os pontos onde o foguete russo poderia cair e entre esses pontos está a Bahia.

(Foto: Juliana Almirante / G1)
Aleonidas Cardoso também diz que escutou uma explosão.

Caso

Moradores de Salvador e de cidades do interior da Bahia relataram nas redes sociais, entre a noite da última terça-feira (20) e a manhã desta quarta (21), que viram um clarão no céu. O fenômeno aconteceu por volta das 22h30, durou segundos e deixou as pessoas assustadas.

O astrônomo Fernando Munaretto diz ter visto o fenômeno no bairro do Costa Azul, na capital baiana, e acredita que pode ter sido causado por um meteoro. “Meteoro é um fenômeno meteorológico causado por uma entrada de um corpo na atmosfera. Então, dependendo da constituição desse corpo, pode apresentar cores. Foi o que aconteceu com esse meteoro ontem, o final dele foi laranja. Mas em grupo de astrônomos teve gente que viu azulado”, relata.

Munaretto afirma que o que ocorreu foi, provavelmente, um corpo que entrou na atmosfera em velocidade e se queimou no ar. “Normalmente se desintegram, mas eventualmente um pedaço dele caiu. Não foi ouvido barulho, só clarão. Eu vi o clarão sobre o mar. Provavelmente é um meteoro. Agora, causado a gente não sabe pelo que. Mas deve ser de um corpo proveniente do espaço”.

Segundo a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), também existe a possibilidade de partes de um foguete, que foi mandado pela Rússia para uma Estação Espacial, tenha caído na Bahia. Parte da estrutura pode ter se soltado.

O G1 tentou, mas ainda não conseguiu contato com o Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

(Fotos: Juliana Almirante / G1)
Morador disse que objeto caiu do céu após clarão. 
Objeto que caiu do céu no município de Camaçari,
região metropolitana de Salvador.
Objeto encontrado em Monte Gordo, em Camaçari.
Área onde o objeto supostamente caiu em Monte Gordo.


Fonte: Site “G1” do globo.com – 21/02/2018

Comentário: Sei que esse meu comentário não vai agradar a muitos, mas o mais lamentável disso tudo é a ignorância de nosso povo em pleno século 21. Não é por acaso que a crença em Deuses ainda tem forte receptividade no Brasil e em todo mundo. Lamentável! Precisamos amadurecer como especie, mas será mesmo que iremos sobreviver até lá?

Clarão é Visto no Céu da Bahia; Astrônomo Fala em Meteoro

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (21/02) no site “G1” do globo.com destacando que um Clarão foi observado na ultima terça-feira (20/02) no céu da Bahia e astrônomo fala em meteoro.

Duda Falcão

BAHIA

Clarão é Visto no Céu da Bahia;
Astrônomo Fala em Meteoro

Fenômeno ocorreu na noite da última terça-feira (20). 'Deve ser de um corpo proveniente do espaço', diz astrônomo.

Por G1 BA
21/02/2018 - 07h06
Atualizado há 15 horas

"Clarão" no céu intriga moradores de
Salvador e do interior da BA.

Moradores de Salvador e de cidades do interior da Bahia relataram nas redes sociais, entre a noite da última terça-feira (20) e a manhã desta quarta (21), que viram um clarão no céu. O fenômeno aconteceu por volta das 22h30, durou segundos e deixou as pessoas assustadas.


O astrônomo Fernando Munaretto diz ter visto o fenômeno no bairro do Costa Azul, na capital baiana, e acredita que pode ter sido causado por um meteoro. “Meteoro é um fenômeno meteorológico causado por uma entrada de um corpo na atmosfera. Então, dependendo da constituição desse corpo, pode apresentar cores. Foi o que aconteceu com esse meteoro ontem, o final dele foi laranja. Mas em grupo de astrônomos teve gente que viu azulado”, relata.

Munaretto afirma que o que ocorreu foi provavelmente um corpo que entrou na atmosfera em velocidade e se queimou no ar. “Normalmente se desintegram, mas eventualmente um pedaço dele caiu. Não foi ouvido barulho, só clarão. Eu vi o clarão sobre o mar. Provavelmente é um meteoro. Agora, causado a gente não sabe pelo que. Mas deve ser de um corpo proveniente do espaço”.

Suposto 'clarão' é visto no céu de
Salvador e cidades do interior.

O astrônomo disse que os moradores não devem temer o fenômeno. “A chance de cair um corpo na terra com proporções catastróficas é pequena", avalia.

O astrônomo amador Alexsandro Mota, morador de Conceição do Coité, cidade que fica a cerca de 200 Km de Salvador, registrou o clarão com sua câmera. Ele contou que faz parte de um grupo de astrônomos amadores que deixam câmeras apontadas para cima, durante a noite. Na última terça, ele conseguiu captar o fenômeno.

"É muito difícil a gente conseguir gravar um fenômeno desses. Foi uma atividade de grande porte", disse Alexsandro.

A moradora do bairro de Tancredo Neves, em Salvador, de prenome Gleice, diz que o marido dela também conseguiu ver o clarão no céu. "Ele me chamou e me mostrou gravações no celular. Ele ficou preocupado e disse que muitas pessoas que estavam na praça correram", conta.

Morador de Alagoinhas, Edmilson Oliveira contou que testemunhou o clarão. "Vi esse clarão no céu. Fiquei muito preocupado", disse.

Pelas redes sociais, muitas pessoas relataram ter visto o fenômeno. "Alguém por acaso viu agora, no exato momento, um clarão forte no céu?", questionou internauta em uma rede social. "Acabei de ver um meteorito cair, CELOKO, ficou tudo clarão!, comentou outro.

Foto: Reprodução/Twitter
Clarão no céu da Bahia foi relatado também nas redes sociais.


Fonte: Site “G1” do globo.com – 21/02/2018

Novo Acordo de Salvaguardas Com os EUA, Benéfico ou Leonino?

Olá leitor!

Como todos nós já devemos saber, o Ministério da Defesa (MD) do Governo Temer, sob a condução do Ministro Raul Jungmann, encontra-se na eminencia de há qualquer momento assinar um novo “Acordo de Salvaguardas Tecnológicas” relacionada ao uso pelos EUA do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) para lançamentos de Foguetes, né verdade?

Pois então, o que talvez todos não saibam é que em 18 de abril de 2000, durante o segundo Governo Fernando Henrique Cardoso, o Ministro Ronaldo Sardenberg (MCT) assinava pelo Brasil em Brasília, um acordo como este, tendo como contraparte americana o Embaixador Anthony S. Harrington. (veja este acordo aqui)

Pois é, acontece que esse acordo nunca foi aprovado pelo Congresso Brasileiro por ser considerado danoso a soberania nacional e acabou sendo retirado do Congresso durante o Governo LULA.

Agora em uma nova tentativa o Governo Temer tentará aprovar um novo Acordo similar a este, mas segundo vem sendo divulgado pelo MD, com as devidas alterações que não coloquem em risco a Soberania Nacional.

Não se discute aqui a necessidade de um Acordo como este se quisermos tornar o CLA em uma base comercial de lançamentos rentável e realmente ativa internacionalmente, mas é preciso muita cautela, sapiência, competência e seriedade na hora desta negociação, qualidades estas que não são reconhecidas nestes Populistas de Merda que estão representando o Brasil nesta negociação, e que sobra na contraparte americana. Isto evidentemente causa grande preocupação a toda Comunidade Espacial do país.

É claro que como a Acordo anterior, este novo Acordo terá ainda de passar pela aprovação do Congresso (uma casa tão vergonhosa quanto aquela que encontramos no Poder Executivo) e ai neste momento a Comunidade Científica e Espacial Brasileira finalmente terá acesso ao teor do Acordo, ficando a expectativa de que a mesma se mobilize, seja para aprova-lo o mais rápido possível se benéfico for, ou para impedi-lo se leonino for aos interesses do país. Vamos aguardar.

Duda Falcão

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Escola Baiana Se Inscreve em Projeto Educacional do Grupo ZENITH

Olá leitor!

Pois é amigo, com o exponencial e vigoroso crescimento do Espaçomodelismo, Foguetemodelismo e das atividades ligadas às Ciências Espaciais em escolas brasileiras do Ensino Fundamental ao Ensino Superior, não ter em nosso estado escolas e universidades envolvidas com esta nova bandeira nos trazia (a mim e ao Sr. Carlos Cássio Oliveira, presidente do "Centro de Foguetes Experimentais da Bahia-CEFAB" e um dos pioneiros do Foguetemodelismo no Brasil) uma grande frustração e preocupação.

Agora por indicação do próprio Sr. Carlos Cássio Oliveira, finalmente a Bahia entra nesta nova era com a participação da escola privada de ensino infantil e fundamental "Luz do Saber", localizada que é no bairro carente de São Cristóvão, em Salvador. 

Sob a direção da Profa. Eliane Santana dos Santos Vieira, esta escola já se encontra inscrita no projeto Garatéa-E do Grupo ZENITH da USP São Carlos, e agora estamos na expectativa de que outras escolas de nosso estado (públicas ou privadas, carente ou não) venham a se interessar em participar deste projeto ou mesmo do projeto Arte Garatéa (Patch ISS) também conduzido pelo Grupo ZENITH, dando assim a oportunidade aos seus professores e alunos de terem contato com este fantástico universo das Ciências Espaciais e da Astronomia.


A secretária Georgina Letícia Reis de Oliveira com a
Profa. Eliane Santana dos Santos Vieira (Diretora da escola).
O Sr. Carlos Cássio Carlos Oliveira com a
Profa. Eliane Santana dos Santos Vieira
Fachada da Escola carente Luz do Saber em Salvador.

Como esquecer leitor o grande exemplo dado pela galerinha e professores da "Escola Municipal Presidente Tancredo de Almeida Neves (ETEC)" da cidade de Ubatuba-SP? Está lembrado? Pois então, sob a iniciativa do inovador e grande educador Prof. Cândido Moura, alunos do ensino fundamental desta escola colocaram em 16/01/2017 com sucesso no espaço, um pequeno satélite em forma de latinha de guaraná (Tubesat), este denominado de "Tancredo-1", e atualmente já trabalham em outros projetos de pequenos satélites.

O Tubesat Tancredo-1 da ETEC que foi lançado
ao espaço em janeiro de 2017.

Pois é, você professor e educador baiano, realmente preocupado em trazer para os seus alunos novos conhecimentos e oportunidades pode fazer a diferença ficando atento a estas duas iniciativas do Grupo ZENITH, e caso queira participar de oficinas, ou obter qualquer orientação nesta área, nos procure que estaremos aqui a sua disposição. E lembre-se, não deixem de participar da "Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA)", esta coordenada pelo grande educador Prof. João Batista Garcia Canalle da (UERJ). O país precisa de você, nos ajude a formar cidadãos. Participem!

Duda Falcão

Research in Brazil - A Report For CAPES by Clarivate Analytics

Olá leitor!

Por solicitação da “Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)”, a empresa americana “Clarivate Analytics” realizou e publicou recentemente um interessante estudo denominado “Research in Brazil - A Report For CAPES by Clarivate Analytics”, estudo este que, como o nome já diz, apresenta um diagnostico da atual situação da Ciência Brasileira, ai incluindo as atividades do PEB.

Vale esclarecer que a “Clarivate Analytics” é uma empresa independente que possui e opera uma coleção de serviços baseados em inscrição "focada em pesquisa científica e acadêmica, análise de patentes e padrões regulatórios, inteligência farmacêutica e biotecnológica, proteção de marca registrada, proteção de marca de domínio e gerenciamento de propriedade intelectual". Os serviços da empresa se concentram principalmente na análise e hoje possui mais de 4.000 funcionários, operando em mais de 100 países.

Caso o leitor se interesse por dar uma olhada neste estudo o mesmo pode ser acessado pelo link: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/17012018-CAPES-InCitesReport-Final.pdf.

Desde já agradecemos ao Dr. Waldemar Castro Leite pelo envio deste estudo.

Duda Falcão