domingo, 31 de outubro de 2010

Presidente do SindCT Entrega Carta ao Presidente LULA

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (29/10) no jornal informativo “Rapidinha” do Sindicato do Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de C&T (SindCT) destacando que o presidente desta instituição, Fernando Morais Santos,  entregou carta ao presidente LULA solicitando a contratações de novos servidores para as instituições do DCTA e INPE.

Duda Falcão

Falta de Pessoal

SindCT Entrega Documentos ao Presidente Lula

Informativo Rapidinha
29/10/2010

No dia 18 de outubro, durante a inauguração das ampliações da REVAP em São José dos Campos, o presidente do SindCT, Fernando Morais, entregou ao Presidente Luís Inácio Lula da Silva, documento onde expõe a necessidade contratação de pessoal para o CTA e INPE, cujos quadros de funcionários estão deficitários, prejudicando sensivelmente as atividades e comprometendo programas e projetos.

Com a abordagem e a fala do presidente do SindCT, Lula leu o texto e disse que “iria ver” (o caso). Observamos que ele guardou o documento quando entrou no carro presidencial. Veja abaixo a íntegra do documento.

Nossa Avaliação

A entrega do documento e a fala do presidente do SindCT não garantem que vão ocorrer contratações, porém, para que se possa ter alguma chance, os Ministérios da C&T e da Defesa precisam, nas figuras de seus ministros Sérgio Rezende e Nelson Jobim, chegar ao Presidente da República e encaminhar ou reforçar as reivindicações de pessoal para as duas instituições CTA e INPE. O momento é agora!

São José dos Campos, 18 de outubro de 2010

Excelentíssimo
Sr. Luís Inácio Lula da Silva
Presidente da República Federativa do Brasil

Assunto: Concursos públicos para DCTA e INPE

Por este documento, de forma sucinta, procuraremos expor a Vossa Excelência a dramática situação a qual estão submetidos o DCTA e o INPE.

Os dois órgãos formam o setor espacial do estado brasileiro, nos Ministérios da Defesa e da Ciência e Tecnologia, e são responsáveis pela implementação do nosso programa espacial nas atividades de clima, análise de dados espaciais, segurança em vôo, desenvolvimento de novas tecnologias para o setor e muitas outras missões solicitadas pelo estado.

Com respeito ao quadro de pessoal, as duas instituições de C&T não têm recebido a atenção que merecem por parte do MPOG, diferentemente de absolutamente todas as demais instituições de C&T e das universidades do governo federal, que têm tido o tratamento correto, com os concursos e as contratações que se fazem necessárias para as vagas existentes.

O quadro de pessoal destas duas instituições hoje é 38% menor do que em 1990. A média de idade é maior que 52 anos e, até 2015, perderemos mais 30% do pessoal atual devido às aposentadorias. Leva-se 5 anos, ou mais, para se preparar um especialista e habilitá-lo para desempenhar suas atribuições.

Cabe informar que para executar as missões que hoje o Brasil necessita, e temos obrigação de corresponder, precisamos de que sejam autorizadas urgentemente mais de 1000 novas contratações por concurso público, isso sem considerar a implementação, num futuro próximo, de novos e importantes programas de interesse da defesa e da soberania Nacional.

Solicitamos, dessa forma, a intervenção de Vossa Excelência para a implementação destes concursos, visando à sobrevivência do conhecimento e da tecnologia do setor espacial brasileiro, para preservar a soberania neste segmento estratégico.

Respeitosamente,

Fernando Morais Santos
Presidente do SindCT


Fonte: Jornal Informativo “Rapidinha” do SindCT - pág. 02 - 29/10/2010

Comentário: É dramático o apelo do presidente do SindCT sobre esse assunto como o leitor mesmo pode notar na carta entregue ao presidente LULA. Ora leitor, o LULA conhece esse problema desde o acidente com o VLS-1 em 2003 ou mesmo até antes disso. Teve oito anos para pelo menos tentar amenizar esse problema e não se mexeu, gerando esse quadro dramático que eu mesmo pude constatar recentemente durante a minha rápida visita ao IAE. Não acredito que agora faltando dois meses de governo que ele venha fazer algo. O presidente do SindCT, o senhor Fernando Morais Santos, está corretíssimo em sua avaliação quando diz que os ministros Sérgio Rezende e Nelson Jobim, precisam se mexer e chegar junto do LULA reforçando essas reivindicações de pessoal para as instituições do DCTA e INPE. Ações de incentivo como essa foram feitas com grande êxito pela Marinha, resultando numa cara nova para o Programa Nuclear e para o PROANTAR e pode (já deveria ter sido feito) perfeitamente ser feito para o PEB. Chega de má vontade e conversa fiada com o "Programa Espacial Brasileiro", precisamos é de ação.

Novo Governo: O Que Será do PEB?

Caros leitores!

É chegado o momento de o povo brasileiro escolher o seu novo presidente ou mesmo escolher pela primeira vez na história do país uma mulher como presidente.

É verdade também que caso a candidata Dilma Rousseff vença as eleições (como indica todas as pesquisas), esse fato não significará realmente nada de relevante se a mesma não vier a realizar um bom governo.

A história da humanidade tem demonstrado até hoje ao povo que só existem três tipos de governos, o péssimo, o ruim e o menos ruim. O sucesso de uma nação como o de seu governo historicamente tem demonstrado está mais relacionado com o sucesso de sua classe dominante, sendo a atuação do governo um reflexo disso. Em outras palavras se a classe dominante é séria, progressiva, visionária, inteligente, competente e dinâmica você tem uma nação rica e desenvolvida, caso contrário esse quadro não é alcançado.

O Brasil é um país que foge um pouco essa regra devido ao seu gigantismo, os grandes recursos naturais e principalmente pela criatividade de seu povo, que fazem com que o país acabe crescendo, mesmo tendo governos péssimos ou ruins como no caso do governo do presidente LULA. É claro que essa comparação é feita entre os dois primeiros níveis dessa tabela, pois não há como fazer uma comparação diferente já que nunca viemos a ter um governo menos ruim.

Infelizmente vivemos um problema cultural dentro da sociedade brasileira que impede um melhor entendimento por parte do povo brasileiro (independente de classes) que não se constrói uma nação de verdade sem seriedade, competência, dinamismo e honestidade e sendo assim, isso reflete na classe política, já que é do seio dessa mesma sociedade que esses políticos saem. Dito de outra forma: Todo país tem o governo que merece.

Situando-nos agora no tema desse artigo, o Programa Espacial Brasileiro vive um dos piores momentos de sua história devido à falta de foco e de seriedade em sua condução durante os oito anos de governo do presidente LULA. É verdade que seu orçamento foi aumentado gradativamente e significamente após o acidente do VLS-1 em 2003, se levarmos em conta os irresponsáveis US$ 30 milhões do final do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No entanto, esse aumento de orçamento não veio com a mudança organizacional e de infraestrutura física e humana que o programa necessitava, além é claro de terem sido tomadas decisões políticas irresponsáveis e desastrosas (como a criação da mal engenha empresa ACS) que ajudaram a desviar o foco e sugar grande parte dos recursos que poderiam ter sido aplicados no verdadeiro programa espacial do país.

Novo ano, novo governo e as expectativas dos profissionais que atuam no programa e de todos os amantes do tema é que finalmente se dê um rumo ao barco, apesar do blog não acreditar nessa possibilidade.

O ano de 2011 é muito importante para o programa caso não haja novas mudanças, pois estão previstas importantes ações dos projetos atualmente em curso. São elas: o lançamento do satélite sino-brasileiro CBERS-3, continuidade no desenvolvimento do satélite Amazônia-1 visando seu lançamento em 2012, continuidade no desenvolvimento dos satélites ITASAT-1, Nanosatc-BR e dos outros satélites previstos no PNAE, o lançamento do VS-40/SARA suborbital, o teste do motor S-43 do VLS-1, a finalização dos testes da Torre Móvel de Integração (TMI) visando o lançamento do primeiro vôo tecnológico do VLS-1 (VLS-1 XVT-01) em 2012, continuidade no desenvolvimento dos motores L15 e L75, do foguete VS-15 e do VLM-1, lançamento do primeiro Foguete de Treinamento Avançado (FTA) da Avibrás, inicio da utilização dos foguetes FTB e FTI pela comunidade científica para testes em ambiente de microgravidade, entre outras.

No âmbito internacional, estão previsto além do usual uso do foguete VSB-30 e do VS-30/Orion no “Programa Europeu de Microgravidade” o uso de um VSB-30 no programa hipersônico HiFire (Australiano/Americano) e de um VS-40 para o lançamento do experimento alemão SHEFEX II, ambos da Austrália.

Como na vida nem tudo são confetes, na contra mão dessas ações (o lado negativo), estará à continuidade das obras do sitio de lançamento dessa mal engenhada empresa ACS, visando o lançamento do vôo de qualificação do Cyclone-4 em fevereiro de 2012. Onde até lá se prevê torrar estimáveis recursos que poderiam estar sendo aplicados no verdadeiro PEB.

Em resumo caros leitores, em resposta a pergunta que intitula esse artigo, o mais prudente seria dizer: Só Deus sabe.

Duda Falcão

INPE Adia Novamente Concorrência do Amazônia 1

Olá leitor!
 
Literalmente virou brincadeira, segundo o Diário Oficial da União (DOU) do dia 29/10 o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) adiou para 16/11 a concorrência internacional de Nº 127/2010 - Aquisição de 1 (uma) unidade de interfaces OBDH do Satélite Amazônia 1. Essa concorrência já havia sido adiada anteriormente como postada aqui no blog (veja a nota INPE Adia Concorrência do Satélite Amazônia 1). Abaixo segue o aviso de adiamento como publicado no DOU.
 
Duda Falcão
AVISOS DE ADIAMENTOS
CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL Nº 127/2010

Comunicamos o adiamento da licitação supra citada , publicada no D.O.U. de 24/09/2010, para 16/11/2010, às 10h00 , no seguinte Endereço: Avenida dos Atronautas, 1758 Jardim da Granja -SAO JOSE DOS CAMPOS - SP. Objeto: Aquisição de 1 (uma) unidade de interfaces OBDH do Satélite Amazônia 1.

SILVANA RABAY
Presidente da Comissão Permanente de Licitação

(SIDEC - 28/10/2010) 240106-00001-2010NE900005

Fonte: Diário Oficial da União - pág. 11 - 29/10-2010

GIA-SJ Revoga Concorrência Relacionada com o VLS-1

Olá leitor!

Lamentavelmente, sabe-se lá por qual o motivo, segundo o Diário Oficial da União (DOU) do dia 27/10, o Grupamento de Infra-Estrutura e Apoio-SJ (GIA-SJ) revogou a concorrência relacionada com a "Atualização do Hardware e Sofrware do Banco de Controle do Veículo Lançador de Satélite (BCVLS)", já apresentada aqui no blog (veja a nota GIA-SJ Lança Concorrência Relacionada com o VLS). Veja abaixo o aviso de revogação publicado no DOU.

Duda Falcão

AVISO DE REVOGAÇÃO
CONCORRÊNCIA Nº 8/2010

Fica revogada a licitação supracitada, referente ao processo Nº 67720003809201019. Objeto: Serviço de engenharia para atualização do Hardware e Sofrware do Banco de Controle do Veículo Lançador de Satélite (BCVLS).

Cel Int GILMAR CUNHA MAIA
Ordenador de Despesas

Fonte: Diário Oficial da União - pág. 25 - 27/10/2010

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

UFABC Anuncia Novas Datas Para Eventos de C&T

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada dia (27/10) no site da “Universidade Federal do ABC (UFABC)” destacando que novas datas foram anunciadas pela UFABC para a Semana de Ciência e Tecnologia e Simpósio de Iniciação Científica.

Duda Falcão

Novas Datas para a Semana de Ciência e
Tecnologia e Simpósio de Iniciação Científica

Assessoria de Comunicação e Imprensa
27/10/2010

As atividades da Semana de Ciência e Tecnologia e Simpósio de Iniciação Científica voltam a acontecer nos próximos dias 04 e 05. A programação permanece a mesma, podendo sofrer alteração de palestrantes.

Além da visita de estudantes de Ensino Médio, que poderão participar de oficina com o grupo IEEE, a Semana de Ciência e Tecnologia programou palestras sobre sustentabilidade, energia eólica offshore, a primeira missão brasileira ao espaço profundo e oficina de como construir seus braço robótico.

Na lista de atividades do simpósio está a apresentação dos trabalhos de alunos vinculados aos programas de iniciação científica a respeito dos eixos de Energia e Estrutura da Matéria.

No encerramento, a premiação dos melhores trabalhos de iniciação científica será feita pelo pró-reitor de pesquisa, Klaus Capelle, que fará um pronunciamento em seguida.


Fonte: Site da Universidade Federal do ABC (UFABC)

Comentário: Pelo que pude entender a programação desses eventos ocorridos na UFABC durante a “Semana Nacional de Ciência e Tecnologia” e anunciada aqui no blog anteriormente (veja a nota Rapidinha 2) será repetida nos dias 04 e 05/11. Uma grande oportunidade para todos que possam comparecer a esse evento e principalmente para os interessados no projeto da Missão ARTER (primeira sonda espacial Brasiléia de espaço profundo). Vale à pena conferir.

FUNCEME Realiza Curso Sobre Satélites em Fortaleza

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia publicada hoje (29/10) no site do governo de Ceará destacando que a "Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME)" realizará de 01 a 12/11 em Fortaleza curso sobre satélite que mede umidade do solo.

Duda Falcão

FUNCEME Realiza Curso Sobre
Satélite que Mede Umidade do Solo

Guto Castro
(comunicacao@funceme.br / 85 3101.1102 - 8814.4194)
Assessoria de Imprensa da FUNCEME
29/10/2010

Trinta e dois cientistas de 12 países estarão reunidos em Fortaleza, de 1º a 12 de novembro, para o Curso de Satélites SMOS, promovido pela Agência Espacial Européia, em parceria com o COSPAR – Committee on Space Research (Comitê Internacional de Pesquisas Espaciais), Instituto Aldy Mentor e com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME).

O modelo de satélite SMOS incorpora uma tecnologia inovadora de sensores capazes de medir a umidade do solo e a salinidade dos oceanos. “Ao acessar os dados deste satélite, recém lançado ao espaço pela Agência Européia, estamos agregando informações mais precisas sobre o ciclo hidrológico nos nossos modelos de previsão climática, ou seja, teremos como mensurar variáveis importantes que influenciam na qualidade da quadra chuvosa no Estado do Ceará”, comentou Antônio Geraldo Ferreira, gerente do Departamento de Meteorologia da FUNCEME e vice-presidente do COSPAR.

Semiárido

Com apoio da Agência Espacial Brasileira, o curso tem como um dos temas principais a demonstração e análise das metodologias de sensoriamento remoto relacionadas com estimativa da umidade do solo em regiões semiáridas e com a temperatura da superfície do mar, a cor do oceano e a salinidade da superfície do mar em regiões tropicais, como o Nordeste brasileiro. Quatro técnicos da FUNCEME participam do curso.

Desde de novembro de 2009, a FUNCEME participa do processo de validação dos sensores do Satélite SMOS. “A cada 12 horas, o equipamento faz uma cobertura global. Ainda estamos operando em fase de testes, mas acreditamos que em 2011 utilizaremos oficialmente os dados disponibilizados”, informou Ferreira.

Serviço:

Curso SMOS/FUNCEME-COSPAR
1º a 12 de novembro de 2010



UFABC Integra Missão Espacial

Olá leitor!

Trago agora mais uma matéria, desta vez publicada dia (08/10) no site do jornal “Diário do Grande ABC”, sobre a participação da UFABC no que muito provavelmente é o mais inovador projeto surgido nos últimos anos no Programa Espacial Brasileiro. Trata-se da Missão ASTER, primeira sonda espacial brasileira de espaço profundo.

Duda Falcão

UFABC Integra Missão Espacial

André Vieira
Do Diário do Grande ABC
08/10/2010 - 7:08

Na fantasia de milhões de crianças e também de adultos, o sonho de integrar uma viagem espacial e descobrir o Universo será realizado por professores e alunos da UFABC (Universidade Federal do ABC) até 2015.

A instituição está entre os participantes da missão brasileira que vai explorar um asteróide distante cerca de 11 milhões de quilômetros do Planeta Terra.

À universidade, caberá a criação de dois instrumentos de bordo, que irão auxiliar na navegação da sonda e na coleta de dados.

O nome dos aparelhos é complicado, mas a explicação do professor de engenharia aeroespacial da UFABC Annibal Hetem Júnior facilita o entendimento.

O primeiro é o altímetro laser, que vai calcular a distância entre a sonda e o alvo. O segundo, o espectrômetro, irá analisar a composição química do asteróide, por radiação, sem tocá-lo.

"O objetivo cientifico do lançamento da sonda é conhecer esse asteróide, mas é uma chance também de desenvolver a tecnologia brasileira", afirmou o professor.

A missão Aster, como foi batizada, conta apoio da Rússia, que vai desenvolver a plataforma da sonda, e de outras universidade brasileiras, que farão os demais instrumentos de bordo.

REGIÃO

Mesmo tendo de se valer das instalações da USP, em São Paulo, e da Unicamp, em Campinas, a expectativa da UFABC é de tocar a maior parte dos trabalhos na região, nos laboratórios da instituição - que ainda estão em construção - e em indústrias com sede no Grande ABC.

Ainda que a sonda não levará nenhum humano a bordo, para o professor, a participação no desenvolvimento do projeto já satisfaz o imaginário de visitar os astros e as estrelas no espaço.

"Essa idéia romântica existe, é muito interessante e faz parte também do lado motivacional do nosso trabalho", afirmou o professor de engenharia aeroespacial.

Como o plano está em fase de estudos, segundo Hetem Júnior, os custos finais da missão e das atividades que serão da UFABC ainda não foram determinados.

"Em outubro, teremos mais uma reunião com a equipe da Rússia e, em novembro, deveremos apresentar o projeto publicamente", informou o engenheiro.


Fonte: Site do Jornal “Diário do Grande ABC” - 08/10/2010

Comentário: Os encontros, reuniões e workshops desta inovadora missão continuam acontecendo em diversos locais desde 2008, quando a mesma foi inicialmente proposta. No entanto, o blog ainda não identificou em nenhuma notícia até o momento se a mesma foi ou não aprovada pelo governo. Vale lembrar leitor que para que qualquer missão espacial no Brasil seja desenvolvida (mesmo assim sem uma total garantia), a mesma precisa constar do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), o que não é o caso desta missão. O PNAE em vigor não prevê qualquer desenvolvimento de sondas espaciais e o novo PNAE do Ganem não passa ainda de uma promessa. Também não devemos esquecer o histórico calvário desses tipos de missão no Brasil, que se iniciou por volta de 2003 com a antiga Missão MCE (Monitor de Clima Espacial), que curiosamente também contava com o apoio dos russos. Aliás, todos os projetos de sondas espaciais (ou propostas de projetos) que surgiram nos bastidores do PEB desde a proposta da Missão MCE, contavam com o apoio russo coordenado pelo pesquisador Alexander Sukhanov (IKI/INPE). Dessa lista de projetos constam além da MCE (que da mesma forma chegou a essa fase de Reuniões e Workshops, além de constar no PNAE anterior ao atual), a Missão Santos Dumont (proposta para substituir a MCE), a Missão Ishtar (primeira missão lunar brasileira) e por fim, essa atual missão que esperamos não venha fazer parte desta lista de decepções.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Brasil Defenderá Distribución Gratuita de Datos de Satélite

Hola Lector!

Sigue abajo una comunica puesta en español hoy (28/10) en el website chino “http://spanish.news.cn” destacando que Brasil defenderá distribución gratuita de datos de satélite en reunión en China.

Duda Falcão

Brasil Defenderá Distribución Gratuita de
Datos de Satélite en Reunión en China

28-10-2010 - 10:20:16
Spanish. News. Cn

RIO DE JANEIRO, 27 oct (Xinhua) -- Brasil defenderá la distribución gratuita de imágenes y datos de satélite durante la Cumbre del Grupo de Observación de la Tierra (GEO, por sus siglas en inglés) que se celebrará la próxima semana en Beijing (China), anunciaron hoy fuentes oficiales.

La posición brasileña en la reunión que se celebrará del 3 al 5 de noviembre fue anunciada hoy por el estatal Instituto Nacional de Pesquisas Espaciales (INPE), que estará representado en China por su director, Gilberto Cámara.

El INPE, pionero en el mundo en la distribución de imágenes de satélites, indicó que defenderá en Beijing la implantación de una política global de libre acceso a los datos de satélites.

El GEO es una organización intergubernamental de la que forman parte 84 países y 56 organizaciones internacionales como la Comisión Europea.

"Brasil apoya la distribución gratuita de datos de satélite, conocida como la Data Democracy, así como el programa Capaccitty Building, que está siendo implantado por el INPE", según una nota de esta estatal vinculada al Ministerio de Ciencia y Tecnología.

El Capaccity Building es una iniciativa que busca, además de ofrecer gratuitamente los datos de satélites, construir una infraestructura común con capacidad para recibir esas informaciones, interpretarlas y transmitirlas con facilidad al usuario final.

La Cumbre del GEO en China, a nivel ministerial, servirá para evaluar el plan de implementación adoptado en 2005, cuando el grupo fue creado, y para definir las metas del trienio 2011-2013.

Los principales objetivos del GEO son mejorar el acceso de los datos de observación de la Tierra y discutir sobre sus aplicaciones, así como coordinar los esfuerzos para implantar el Sistema Global de Sistemas de Observación de la Tierra (GEOSS).

El INPE comenzó a ofrecer gratuitamente a partir de junio de 2004 las imágenes de los satélites del Programa del Satélite Chino Brasileño de Vigilancia Remota (Cbers) y poco después hizo lo mismo con las imágenes del satélite estadounidense Landsat a las que tenia derecho.

A mediados del año pasado, cinco años después de haber sido implantada esa política, Brasil llegó a la marca de un millón de imágenes de satélite distribuidas a empresas, organizaciones no gubernamentales y países que las utilizan para estudios y aplicaciones ambientales, agrícolas y meteorológicos.

Según el INPE, el éxito de esta iniciativa pionera llevó a otros países, entre los cuales los Estados Unidos, a igualmente ofrecer las imágenes de satélites en órbitas de media resolución.

Los países más beneficiados con la política brasileña son los de Suramérica, que tienen acceso a imágenes de sus territorios recibidas por la estación del INPE en la ciudad de Cuiabá.

El Instituto también firmó acuerdos para ofrecer a países africanos las imágenes del Cbers que llegan a las estaciones terrestres de recepción de Hartebeeshoek (Suráfrica), Aswan (Egipto), y Maspaloms (Isla Canarias).


Fuente: Website chino http://spanish.news.cn

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Vídeo do Lançamento da Pedra Fundamental da ACS

Olá leitor!

Segue abaixo um suposto vídeo oficial do lançamento da “Pedra Fundamental” das obras do sítio de lançamento da mal engenhada empresa “Alcântara Cyclone Space (ACS)” que apareceu no YouTube. Infelizmente a única coisa de real valor para o Brasil que esse curto vídeo mostra desse dia negro no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), é a imagem da “Torre Móvel de Integração (TMI)” do Veículo Lançador de Satélites (VLS-1).

Duda Falcão

O IEAv Brilha na Feira de Ciência e Tecnologia em Brasília

Olá leitor!

Segue uma notícia postada hoje (27/10) no site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv) destacando que o instituto brilhou na “Feira de Ciência e Tecnologia” em Brasília.

Duda Falcão

O IEAv Brilha na
Feira de Ciência e Tecnologia em Brasília

27/10/2010

Pelo segundo ano consecutivo o nosso Instituto participou da Feira de Ciência e Tecnologia realizada em Brasília-DF, no período de 19 a 24 de outubro de 2010.

A valorização da biodiversidade e da relação entre o homem, a tecnologia e o meio ambiente fizeram parte do tema principal da 7a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, promovida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia. O uso da ciência para o desenvolvimento sustentável foi o ponto de partida para a participação dos 67 expositores, entre eles, a Força Aérea Brasileira (FAB).

O ministro da Ciência e Tecnologia, Exmo Sr Sérgio Rezende, destacou a contribuição da FAB na área de Ciência e Tecnologia do Brasil. O ministro ressaltou o papel do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) no desenvolvimento da aviação no país, e citou projetos em parceria com o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

O projeto do 14X foi uma das atrações mais visitadas da Feira, superando o ano anterior e atraindo muitos “curiosos” que ficaram admirados com a proposta do projeto e orgulhosos de saber que se tratava de uma tecnologia totalmente brasileira e seu mentor era um Coronel Engenheiro da FAB.

O LIC, do IEAv, também se fez representar, contribuindo na interação e principalmente na diversão do público presente. Os simuladores de voo e o giroflex foram um verdadeiro sucesso no evento.

A eficiente equipe de expositores do IEAv foi formada pelo 1º Ten QOEA GDS Reinaldo, Cv Adriano e o Sd Cassiano.No estande montado pela FAB ainda estavam presentes representantes do CECONSAER, IAE e CLBI.

A seguir mais foto da feira:



Fonte: Site do Instituto de Estudos Avançados (IEAv)

INPE - Com. Internacional Discute Normas da Ind. Espacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (27/10) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que a comunidade internacional discute esta semana no instituto as normas da indústria espacial.

Duda Falcão

Comunidade Internacional Discute
Normas da Indústria Espacial no INPE

27/10/2010

Representantes do Brasil, EUA, Rússia, França, China e Japão estão reunidos esta semana no LIT (Laboratório de Integração e Testes), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), de São José dos Campos, para a busca de consenso na elaboração de novas normas para a indústria espacial.

Os participantes deste encontro fazem parte de três grupos de trabalho do subcomitê SC14 (Sistemas e Operações Espaciais) do TC20, o comitê para assuntos ligados à aeronáutica e espaço da ISO (International Organization for Standartization).

As discussões giram em torno de temas como engenharia de projeto, componentes eletrônicos, painéis solares, testes de lançadores e motores de foguete, combustíveis de satélites, entre outros.

“As comissões de estudos elaboram normas no intuito de melhorar a segurança, aumentar a confiabilidade e a qualidade dos produtos, facilitar parcerias e também reduzir custos”, explicou o coordenador do encontro no INPE Carlos de Oliveira Lino, que também é membro da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), representante na ISO.

As reuniões do SC14 representam, segundo o americano David Hirsch, um passo importante para a cooperação internacional e a unificação de objetivos na exploração espacial. “Trabalhando juntos conseguimos identificar problemas técnicos e buscar entendimentos entre parceiros”, afirmou Hirsch, líder do grupo de trabalho WG6 Materials and Process.

Para o líder do WG1 Design Engineering and Production, o japonês Keiichino Eishima, estas reuniões são fundamentais para que os participantes, Brasil, Japão, China, EUA e ESA (Agência espacial européia), conheçam as tecnologias já existentes no mundo e troquem informações. “Se todos nós tivermos um bom padrão de qualidade, poderemos fazer bons negócios”, completou.

Com sede em Genebra, a ISO é uma organização internacional com 167 membros e que desenvolve e publica normas internacionais em várias áreas da tecnologia. O Brasil é representado neste órgão pela ABNT.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

GEO - INPE Defende Exp. do Compartilhamento de Dados

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada hoje (27/10) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que o instituto irá defender a expansão do compartilhamento de dados de satélites no GEO.

Duda Falcão

INPE Defende Expansão do Compartilhamento
de Dados de Satélites no GEO

27/10/2010

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) vai participar da Cúpula do Grupo de Observação da Terra (GEO, na sigla em inglês), entre os dias 3 e 5 de novembro, em Beijing, na China, defendendo a política global de livre acesso a dados de satélites. O GEO é uma organização intergovernamental que congrega 84 países, a Comissão Européia e ainda 56 organizações internacionais.

O INPE vai integrar a delegação brasileira, que será encabeçada pelo ministro Fábio Pitaluga, do Ministério das Relações Exteriores. Ao lado dele, estará o diretor do INPE, Gilberto Câmara, entre outros representantes do país.

O Brasil apóia a distribuição gratuita dos dados de satélites, a chamada Data Democracy, e também o programa Capaccity Building, que está sendo implementado pelo INPE. O Capaccity Building consiste não só em disponibilizar os dados, mas também em construir capacidade para recebê-los, interpretá-los, utilizá-los e levá-los com facilidade ao usuário final.

Nestes três dias na capital chinesa, haverá duas plenárias e uma reunião ministerial com representantes dos países membros do GEO, para avaliar o andamento do plano de implementação adotado na criação do grupo, em 2005, e definir as metas para o triênio 2011-2013. O objetivo é melhorar o acesso aos dados de observação da Terra e estudar suas aplicações, além de coordenar esforços para a fundação do Sistema Global de Sistemas de Observação da Terra (GEOSS).

O uso de dados de satélites de observação da Terra é uma ferramenta importante para o desenvolvimento econômico sustentável e garante benefícios para a sociedade em nove áreas: agricultura, biodiversidade, clima, ecossistemas, energia, saúde, desastres naturais, recursos hídricos e clima.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

DCTA/IEAv Coord. Eventos Sobre Efeitos da R. Ionizante

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada hoje (27/10) no site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) informando que o DCTA / IEAv coordenam eventos sobre “Efeitos da radiação Ionizante” que já foram abordado aqui no blog (veja a nota IEAv Promove Eventos Sobre Radiação Ionizante).

Duda Falcão

DCTA / IEAv Coordena Eventos Sobre
Efeitos da Radiação Ionizante

27/10/2010

O Instituto de Estudos Avançados, órgão subordinado ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial, em São José dos Campos, realizará, no dia 29 de novembro, um workshop sobre os efeitos da radiação ionizante em componentes eletrônicos e fotônicos de uso aeroespacial.

O encontro será seguido de outro evento na área, a Escola Internacional Seressa –International School on the Effects of Radiation on Embedded Systems for Space Applications, de 30 de novembro a 3 de dezembro, que também acontecerá no instituto.

Para esses eventos, estão sendo convidados palestrantes dos ministérios da Ciência e Tecnologia e da Defesa, além da Agência Espacial Brasileira e Universidade Federal do Rio Grande do Sul, dentre outros órgãos atuantes no setor aeroespacial, no Brasil.

O conhecimento desses fenômenos e os mecanismos como ocorrem em componentes eletrônicos e fotônicos de aplicação aeroespacial por pesquisadores, engenheiros e outros profissionais do setor é estratégico para o desenvolvimento da indústria aeroespacial do país.

O IEAv, que tem a missão de realizar pesquisa básica e aplicada, bem como desenvolver tecnologias experimentais e estudos avançados que lhe forem atribuídos em decorrência de planos e programas estabelecidos pelo DCTA, é líder nacional em pesquisa sobre efeitos das radiações ionizantes em eletrônica.

Os temas centrais do workshop serão: a geração da capacitação no país para a especificação, seleção, aquisição, produção e qualificação de componentes eletrônicos robustos e tolerantes à radiação ionizante para aplicações aeroespaciais; a adoção do conceito de open innovation para o desenvolvimento do setor; e a necessidade de ampliar a formação de recursos humanos como base fundamental para a capacitação, em consonância com uma das principais diretrizes do Programa Nacional de Atividades Espaciais e do Ministério da Defesa.

A Seressa 2010 contará com aulas teóricas e práticas ministradas por especialistas internacionais, abrangendo um amplo espectro dos efeitos da radiação em sistemas espaciais embarcados, tais como o ambiente espacial, mecanismos de falha, testes, "endurecimento" e predição de taxas de erro, entre outros.

Contatos dos eventos:
Inscrições até 30 de outubro, com vagas limitadas



Fonte: Site do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA)

Relato da Visita do Blog ao IAE

Olá leitor!

Como você deve saber estive quinta-feira passada (21/10) em São José dos Campos (SP) a convite do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) para participar de uma entrevista relacionada com um projeto de prospecção intitulado "Tendências Futuras para Veículos Lançadores de Satélites - Uma Análise Prospectiva".

Fui recebido inicialmente muito cordialmente pela editora executiva da revista JATM, Ana Marlene Freitas de Morais, que me apresentou ao gerente do projeto Dr. Francisco Cristóvão Lourenço de Melo e a sua equipe, formada pelas jovens e simpáticas Maria Cristina Vilela Salgado (coordenadora da parte do projeto que trata do levantamento de dados de tendências futuras para veículos lançadores utilizando a ferramenta - mapas cognitivos – doutoranda), Joana Ramos Ribeiro (bolsista doutoranda) e Amanda Cecília Simões da Silva (colaboradora doutoranda).

Depois das cordiais apresentações, seguimos todos para a sala de reuniões da AVD para que então o Dr. Francisco de Melo pudesse fazer à apresentação do projeto e as coordenadoras darem início a entrevista, onde então pude expor minha modesta opinião sobre o tema do projeto em questão.

Da esquerda para direita - Ana Morais (D. Executiva da revista JATM),
Amanda da Silva (Coordenadora do Projeto), Dr. Francisco de Melo (Chefe do Projeto),
Cristina Vilela e Joana Ribeiro (Coordenadoras do Projeto) e o simpático gordinho
Duda Falcão na Sala de Reuniões da AVD, antes do inicio da entrevista

Após a entrevista segui com as coordenadoras Cristina, Joana e Amanda para almoçar num restaurante a quilo dentro do próprio DCTA, onde pude constatar a boa comida servida e onde me foi apresentado uma jovem e simpática professora do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), que infelizmente não me recordo o nome.

Deixando o restaurante, seguimos então para nos encontramos com o Brig. Eng. Francisco Carlos Melo Pantoja (Diretor do IAE) em seu escritório, onde fui cordialmente recebido por uns vinte minutos na presença do Cel. Eng. Carlos Antônio de Magalhães Kasemodel (Vice-Diretor de Espaço) e das coordenadoras Cristina, Joana e Amanda. A conversa com Brig. Pantoja me foi muito proveitosa e animadora, pois pude constatar o que já desconfiava sobre o mesmo, ou seja, de sua grande competência na condução desse importante instituto de pesquisa do país. Já o Cel. Kasemodel (que já conhecia por contato via e-mail) a impressão não foi diferente e fiquei muito lisonjeado pela atenção que recebi de ambos militares durante o encontro.

Eu com as Maquetes dos foguetes VSB-30 e VS-30
na sala de espera do escritório do Brig. Panjota,
enquanto aguardávamos a sua chegada

Após o encontro com o Brig. Pantoja e o Cel. Kasemodel, segui então com as coordenadoras para me encontrar com a editora executiva da revista JATM, Ana Morais, onde me separarei das jovens coordenadoras e segui com a simpática Ana (que time de meninas) para iniciar a programação de visita as instalações do instituto.

Iniciamos a visita pela Divisão de Ciências Atmosféricas (ACA), onde fomos cordialmente recebidos pelo Dr. Gilberto Fisch. O Dr. Fisch nos apresentou um projeto que ele gerencia atualmente intitulado “Escoamento Atmosférico no Centro de Lançamento de Alcântara” que visa à avaliação da problemática da dispersão da queima de propelentes sólidos e líquidos, e da liberação de gases na atmosfera durante os lançamentos no CLA, e também obter uma estimativa dos riscos ambientais possíveis. Depois da apresentação deste projeto tive a oportunidade de conhecer in loco o equipamento MINI SODAR (veja a nota IAE Adquire Equipamento Utilizado Pela NASA), recentemente adquirido pelo IAE e que se encontra estacionado em frente ao prédio da ACA. Segundo o Dr. Fisch, esse equipamento que visa à realização dos experimentos do projeto “Perfil do Vento no Centro de Lançamento de Alcântara” se encontra ainda na fase de testes e em breve deverá ser transferido para o CLA.

Eu e o Dr. Gilberto Fisch com o MINI SODAR
ao fundo em frente ao prédio da ACA

Deixando a ACA ,seguimos então para o Laboratório de Desenvolvimento de Antenas e Circuitos de Microondas da Divisão de Eletrônica (AEL), onde fomos recebidos cordialmente pela Dra. Cynthia Junqueira. A Dra. Cynthia nos apresentou com uma paixão notável (pude notar o quanto o seu trabalho é importante para ela – precisamos de mais pessoas como a Dra. Cynthia) um projeto coordenado atualmente por ela intitulado “Estudo de Interferências e da Compatibilidade Eletromagnética entre Antenas do 3º e 4º Estágios do VLS”. Fiquei bastante impressionado com o trabalho da Dra. Cynthia e certo que se depender do trabalho dela o VLS-1 voará em 2014 com sucesso.

Nessa foto apareço junto ao jovem Eng. Alan Fidelis da Cruz (Beta Telecon),
do pesquisador francês Prof. Dr. Alain Azoulay (École Supérieuri D\' Électricité - SUPELEC),
da Dra. Cynthia Junqueira (Coordenadora) e dos estágios do VLS-1

Ainda na AEL, seguimos na companhia da Dra. Cynthia para a sala onde se encontrava exposto em módulos à carga útil da “Operação Maracati II”, prevista pra ser lançada do CLA em novembro desse ano. Chegando lá o pesquisador Eng. Francisco Antônio Visconti Júnior nos fez uma apresentação sobre esta carga útil deixando-me ainda mais impressionado com a tecnologia desenvolvida no IAE. Segundo o Eng. Francisco Visconti, diferentemente do que eu imaginava, grande parte dos módulos da carga útil do foguete (basicamente a plataforma onde ficam os experimentos) é de origem brasileira, com exceção do “Modulo de Serviço” e do “Sistema de Recuperação” (onde fica o pára-quedas), que são de origem alemã.

Eu com os módulos da Carga útil da “Operação Maracati II”

A Dra. Cynthia Junqueira, Eu e o Eng. Francisco Visconti com os módulos
da carga útil da “Operação Maracati II” em foto tirada pela
Ana Morais da parte de cima do laboratório

Deixando então AEL, seguimos de carro (até então estávamos andando devido à proximidade dos laboratórios a serem visitados) para o Laboratório de Propulsão Líquida (LPL) da Divisão de Propulsão Espacial (APE), para termos contato com o seu diretor, o Ten. Cel. Av. Avandelino Santana Júnior.

Enquanto aguardávamos a chegada do Cel. Santana, fomos recepcionados na lanchonete do laboratório por uma simpática senhora mineira chamada D. Anésia (aproveito para mandar-lhe um beijo) que com sua grande atenção para comigo contribuiu para que eu ganhasse mais alguns quilinhos.

Durante a espera do Cel. Santana, ainda na lanchonete, fui apresentado pela Ana Morais a um pesquisador do laboratório (não recordo o nome dele) que está lutando sem sucesso para ter seu projeto de propulsão híbrida aprovado pelo governo. O que é uma pena, pois a propulsão híbrida é uma outra grande opção para o desenvolvimento do PEB.

Com a chegada do Cel. Santana Junior, seguimos então para uma sala onde o mesmo realizou através de uma tela uma apresentação bastante esclarecedora sobre os projetos em andamento no Laboratório de Propulsão Líquida (LPL). Projetos como os motores líquidos L5, L15 e L75 foram apresentados com grande entusiasmo pelo Cel. Santana (grande especialista brasileiro na área de propulsão líquida, com formação na Rússia, onde morou por cinco anos, inclusive tendo um livro sobre o tema escrito em russo) além dos projetos de foguetes previstos (VS-15, VLM-1, VLS-1, VLS Alfa) e algumas possibilidades de uso do motor L75 com outros foguetes ainda hipotéticos. A impressão que eu tive é que ainda é forte a intenção inicial do IAE em substituir o motor a propulsão sólida do 4º estágio do VLS-1 (S-44) pelo motor de propulsão líquida L5.

Após essa apresentação, seguimos então com o Cel. Santana para um salão onde o mesmo me apresentou o motor L5 desmontado, detalhando cada parte deste motor e também apresentando o modelo de testes do motor L15. Neste salão, também pude observar os módulos do futuro foguete VS-15, que será propulsado pelo motor líquido L15, motor este que se encontra ainda em fase de testes.

Deixando este grande salão, na companhia do Cel. Santana, seguimos para o local onde está instalado o "Banco de Provas para Motores-Foguetes Líquidos de 20 kN", instalação esta que fica atrás do prédio principal do laboratório. Chegando por uma escada ao local para ver in loco o que até então só havia visto por fotografia, tive a grata surpresa de saber que todos os equipamentos do banco de provas foram desenvolvidos no Brasil e também de presenciar um teste do ignitor de motores líquidos também desenvolvido no país.

Após a apresentação do banco de provas, seguimos então para uma outra sala no prédio principal do LPL/APE onde fomos recebidos pelo pesquisador carioca Wladimyr Mattos da Costa Dourado (curiosamente com formação pela Universidade Federal da Bahia - UFBA) que nos apresentou o seu projeto intitulado "Banco de Ensaio de Instabilidade de Combustão" (para saber mais sobre este projeto clique aqui) e também um teste do seu experimento, onde pela primeira vez em minha vida pude presenciar in loco o uso de uma fonte de laser.

Eu em frente do prédio do APE

Eu na entrada do LPL/APE

Após esta passagem pelo LPL/APE, a programação que previa a visita a Divisão de Aerodinâmica (ALA) e ao Museu Aeroespacial Brasileiro (MAB) teve de ser cancelada devido à hora já adiantada, pois ainda teria de me encontrar com as coordenadoras do projeto para finalizar a minha participação.

Sendo assim, retornamos de carro ao AVD, onde junto com as coordenadoras Cristina, Joana e Amanda, finalizei minha participação no projeto e fiquei então aguardando as meninas terminarem seus afazeres.

Nessa idas e vindas entre o prédio da AVD e o prédio da Direção do instituto, voltei a me encontrar rapidamente com o Cel. Kasemodel, onde aproveitei para tirar fotos com ele e duas das coordenadoras em frente da maquete do VLS-1, que fica entre os dois prédios. Nesse rápido encontro com o coronel, tive a oportunidade de ser apresentado pelo mesmo ao gerente do "Projeto SARA", Dr. Luis Eduardo Loures, que infelizmente devido a correria não foi possível manter um contato mais duradouro.

Eu, a Cristina Avelar e o Cel. Kasemodel
com a maquete do VLS-1 ao fundo

Eu a Joana Ribeiro e o Cel. Kasemodel
com a maquete do VLS-1 ao fundo

Com o fim dos afazeres das coordenadoras, me despedi da jovem Amanda e segui com a Cristina para um restaurante árabe em algum lugar de São José dos Campos (cidade muito bonita), onde tanto a Joana quanto a Ana Morais nos encontrariam depois. Depois da chegada da Joana e antes mesmo da chegada da Ana e da filha adolescente da Cristina (Luiza), e logo depois da jovem filha da Ana (Marina) com o seu noivo (Diego), pude constatar o acerto das meninas na escolha do restaurante e infelizmente devido ao horário tive que me despedir de todos, já que tinha de pegar ainda um avião em Guarulhos, há 80 km de distância de onde me encontrava.

Apesar da correria e do grande atraso do avião no vôo de retorno fiz uma viagem inesquecível, onde pude realizar um sonho de infância e conhecer grandes profissionais e seus maravilhosos projetos nesse que eu considero um dos grandes institutos de pesquisas do país, e que espero um dia poder retornar.

Três coisas leitor eu pude constatar durante a minha passagem pelo IAE. A primeira foi o grande trabalho que esses profissionais militares e civis vêm realizando neste instituto. O segundo é a extrema e urgente necessidade do aumento de recursos humanos para um melhor desempenho do instituto e a terceira é que eu estou precisando urgentemente de emagrecer, como se pode notar nas fotos.

Gostaria de agradecer ao Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) e em especial ao Brig. Pantoja e ao Cel. Kasemodel por ter-me proporcionado esta visita e a todos profissionais que me atenderam com grande atenção, cordialidade e respeito a minha pessoa e ao meu trabalho.

Abaixo segue mais algumas fotos de minha visita ao IAE:

Eu com a maquete do Sonda IV ao fundo

Eu com a maquete do VS-40 ao fundo

Eu com a Maquete do VSB-30 ao fundo

Duda Falcão

Dilma Rousseff, Forças Armadas e Espaço

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (26/10) no blog “Panorama Espacial” do companheiro jornalista André Mileski destacando a parte da carta às Forças Amadas divulgada dia 25/10 pela assessoria da candidata a Presidência da República, Dilma Rousseff, que trata do programa espacial.

Duda Falcão

Dilma Rousseff, Forças Armadas e Espaço

26/10/2010

A campanha de Dilma Rousseff, candidata a Presidência da República, divulgou ontem (25) uma carta aberta às Forças Armadas, discorrendo sobre promessas e o tratamento que a candidata pretende dar ao setor de Defesa caso seja eleita. Esta carta, aliás, foi objeto de reportagens publicadas hoje (26) nos principais jornais do País, como a Folha de S. Paulo e o Valor Econômico.

Na tarde de hoje, o blog recebeu por e-mail uma cópia do documento, que também faz referência ao setor espacial. Embora o blog seja apartidário, reproduzimos abaixo alguns trechos, a título de informação aos seus leitores:

"A perfeita coordenação, hoje vivenciada por nossas Forças Armadas, fará com que tenhamos importantes progressos em três segmentos imprescindíveis para a defesa do País: o setor cibernético, o espacial e o nuclear.

[...]

"Continuará como prioridade o desenvolvimento do Veículo Lançador e a fabricação de satélites."

O documento recebido pelo blog está em arquivo de imagem, razão pela qual não foi aqui reproduzido. Buscamos, sem sucesso, uma versão em texto no website da campanha da candidata.


Fonte: Blog “Panorama Espacial“ - André Mileski

Comentário: Bom candidata Dilma, resta saber qual prioridade no setor espacial a senhora se refere? Se é a prioridade demonstrada durante o governo do presidente Lula, estamos ferrados.

IAE Participa de Simpósio na Área de Defesa Operacional

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (26/10) no site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), destacando que pesquisadores do instituto participaram do "XII Simpósio de Aplicações Operacionais em Áreas de Defesa (SIGE)".

Duda Falcão

IAE Participa de Simpósio na
Área de Defesa Operacional

26/10/2010

ITA
Pesquisadores do IAE participaram do XII Simpósio de Aplicações Operacionais em Áreas de Defesa (SIGE), evento internacional ocorrido no Instituto Tecnológico de Aeronáutica, ITA, com finalização no início do mês de outubro.

O encontro é uma realização do Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais (PPGAO) do ITA, criado em 2001 para formar militares e civis do Ministério da Defesa, nas atividades relacionadas a aplicações operacionais.

O programa abrange diversas áreas de conhecimento do ITA e leva em conta os perfis de formação profissional delineados pelo EMAER ou Órgão de Direção Setorial responsável pela atividade, nas áreas de Guerra Eletrônica (GE), Comando e Controle (C2), Análise Operacional (AO) e Armamento Aéreo (AA).

O PPGAO, inserido nos cursos de cursos de pós-graduação do ITA, visa atender às demandas de capacitação técnica e científica originadas pelo “Programa de Fortalecimento do Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (PFCEAB)”, criado em julho de 2000, por meio de uma Diretriz Presidencial.

As atividades estão direcionadas à pesquisa e ao desenvolvimento no âmbito da Política de Defesa Nacional, em consonância com as Orientações Estratégicas do Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e do Estado-Maior (EMAER), todos do comando da Aeronáutica.



Fonte: Site do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)